Blitz

Os melhores de 2022: A explicação dos Fontaines D.C. do que é ser estrangeiro

29 dezembro 2022 13:00

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Fontaines D.C.

Na reta final de 2022, recordamos os melhores álbuns internacionais do ano para a equipa da BLITZ. Em segundo lugar está “Skinty Fia”, disco em que os Fontaines D.C. refletem sobre a mudança de Dublin para Londres

29 dezembro 2022 13:00

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Para Grian Chatten, vocalista e letrista dos Fontaines D.C., ser irlandês é mais do que um passaporte ou uma bandeira — trata-se de uma identidade, que a banda de Dublin vem estudando desde o primeiro álbum, “Dogrel”, de 2019, no qual letras como “Dublin in the rain is mine/ A pregnant city with a catholic mind” mostravam bem ao que vinha o quinteto. Agora que todos os músicos (Carlos O’Connell e Conor Curley nas guitarras, Conor Deegan III no baixo e Tom Coll na bateria) vivem em Londres, a banda vê-se ‘de fora’, à distância de cerca de 450 quilómetros que os separa de casa e numa metrópole onde, garantem, ser irlandês ainda significa lidar com preconceitos e piadolas. Esta posição de forasteiro acaba por servir de inspiração aos Fontaines D.C. cujas canções habitam uma esfera entre a raiva e a contemplação, nos idiomas do pós-punk e do rock alternativo que dominam de forma cada vez mais personalizada.