Blitz

“A Britney ganhava um milhão de dólares por semana e davam-lhe apenas uma semanada”: uma entrevista sobre sexismo e poder com Samantha Stark

12 novembro 2022 10:20

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Britney Spears

Samantha Stark investigou o controlo exercido pelo pai de Britney Spears e pela sua equipa, que envolvia mensagens e telefonemas escrutinados, cartões bancários retirados, racionamento de despesas com refeições e deslocações apenas com autorização. Em entrevista à BLITZ, admite: “pensei muitas vezes como é que ela se manteve viva ao longo daquele processo.” O documentário que realizou, “Controlando Britney Spears”, estreia-se hoje no canal AMC Crime

12 novembro 2022 10:20

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Depois de “Framing Britney Spears”, que aflorava a questão da tutela da cantora norte-americana, quando vivia sob o jugo legal do seu pai, Samantha Stark realizou um novo documentário. Chama-se “Controlando Britney Spears” e foi feito depois de a artista ter confirmado as suspeitas dos seus fãs, testemunhando em tribunal sobre o controlo ao qual a sua família e a sua equipa a submetiam. “Ela disse que sentia que estava a ser traficada”, diz à BLITZ a realizadora, que preparou este novo documentário com o apoio do “New York Times” e das pessoas que, depois de ouvirem o depoimento de Britney Spears, contactaram a sua equipa. “Tivemos pessoas que vieram ter connosco e disseram: “Ouvi o que ela disse e tenho provas que vos farão acreditar nela'.” Um membro da equipa de segurança que controlava todos os movimentos e comunicações de Britney Spears é um dos protagonistas deste documentário, que ouve também antigas assistentes da cantora. “Quando comecei a falar com mulheres, houve um grande avanço na investigação”, partilha Samantha Stark. “Todas disseram que ela era muito forte e criativa. Que não era fantoche nenhum e que trabalhava como um atleta olímpico. Por outro lado, muitos dos homens que entrevistámos diziam que ela precisava de ser protegida, que precisava de ajuda.” Conversa sobre os abusos da indústria musical, sexismo e poder, no dia em que “Controlando Britney Spears” estreia no AMC Crime.