Exclusivo

Sociedade

Inflação fez disparar abandono animal: associações e centros de recolha temem “rotura”

Inflação fez disparar abandono animal: associações e centros de recolha temem “rotura”
China Photos/Getty Images

Os efeitos da inflação, conjugados com o aumento do número de animais abandonados, a escalada dos custos de alimentação e cuidados veterinários, além de uma quebra nas doações, está a deixar muitas associações zoófilas sem meios para enfrentar “fase negra”

O número de animais de companhia abandonados nas ruas portuguesas está a crescer significativamente, advertem associações dedicadas ao bem-estar animal, que atribuem a causa ao contexto de inflação, referindo um aumento “que ronda os 50%” nos abandonos e pedidos de auxílio nos últimos meses.

O fenómeno não é, contudo, recente. Desde o pico da pandemia de covid-19 que as associações ligadas ao acolhimento e proteção de animais errantes têm alertado para um aumento expressivo na taxa de abandono a nível nacional.

Os dados comprovam isso mesmo: em 2021 os centros de recolha oficiais receberam 43.400 animais, um aumento de cerca de 38% face aos totais de 2019 e 2020.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: piquete@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas