Sociedade

Paleontólogo levanta dúvidas sobre a autenticidade dos ossos: Christie's cancela leilão do esqueleto de um tiranossauro

21 novembro 2022 18:15

scott anselmo/wikipedia

Famosa casa de leilões britânica cancela venda de T-Rex a poucos dias de se realizar em Hong Kong, numa altura em que a procura por dinossauros cresce entre os colecionadores asiáticos

21 novembro 2022 18:15

A leiloeira Christie's cancelou esta segunda-feira a sessão de venda do esqueleto de um tiranossauro (T-Rex), que deveria ir à praça em Hong Kong a 30 de novembro por um valor entre 14,5 milhões de euros e 19,5 milhões de euros.

O cancelamento não foi totalmente explicado pela famosa casa de leilões britânica, que se limitou a informar que, “após consulta ao expedidor do tiranossauro rex agendado para venda a 30 de novembro em Hong Kong, a Christie's decidiu retirar o lote” e que “o expedidor decidiu agora emprestar o espécime a um museu para exibição pública”, segundo comunicado, citado pelo ”The Guardian.

Mas o facto é que o esqueleto do tiranossauro com 1,4 toneladas - ao qual já tinha sido atribuído o nome Shen (que em chinês significa ‘divino’) - foi retirado de leilão após dúvidas levantadas por um prestigiado paleontólogo norte-americano, Pete Larson, que é presidente do Instituto de Pesquisa Geológica de Black Hills, em Dakota do Sul,

O que o paleontólogo questionou foi o facto de o esqueleto do tiranossauro que iria ser leiloado ter características muito semelhantes a outro T-Rex (designado Stan) que foi vendido na Christie's em 2020, por um valor recorde de 30,8 milhões de euros por um proprietário desconhecido. E avançou que parecia que alguns ossos perdidos do tiranossauro Shen tinham sido complementados com moldes do esqueleto de Stan.

O caso foi relatado pelo “The New York Times”, em que o arqueólogo Pete Larson diz que “estão a usar o Stan para vender um dinossauro que não é o Stan, o que é muito enganador”.

É de destacar que o Instituto de Pesquisa Geológica de Black Hills, ao qual Pete Larson preside, detém os direitos de propriedade intelectual do tiranossauro Stan, mesmo após ter sido leiloado em 2020, vendendo oficialmente réplicas em poliuretano moldadas a partir do seu esqueleto, por 120 mil dólares cada.

Sendo raro encontrar esqueletos completos de dinossauros, e recorrendo habitualmente os museus de história natural a moldes de ossos para os complementar, o “The Guardian” avança ainda que, segundo a Christie's, cerca de 80 dos ossos do tiranossauro Shen eram originais, o que tinha sido validado por reconhecidos paleontólogos, como David A Burnham, especialista em terópodes e professor da Universidade de Manchester.

Seria o primeiro leilão da Ásia do esqueleto de um dinossauro T-Rex, e segundo Francis Belin, presidente da Christie's na região Ásia Pacífico, “está a haver uma procura crescente na região por colecionadores destas peças” que representam “a nossa história natural global”.