Sociedade

Os sete militares da GNR que se filmaram a agredir e sequestrar imigrantes estavam suspensos. Agora, a medida caducou e voltaram a trabalhar

21 novembro 2022 10:42

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

marcos borga

Militares tinham sido suspensos quando as imagens das agressões se tornaram públicas. Mas a medida, que era provisória, acabou por caducar. Julgamento inicia-se no dia 30 no Tribunal de Beja

21 novembro 2022 10:42

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Os sete elementos da GNR que se filmaram a agredir e a sequestrar imigrantes indostânicos que trabalhavam nas estufas de Odemira voltaram ao ativo na Guarda. Os militares tinham sido alvo de uma suspensão provisória pela Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quando as imagens de violência se tornaram públicas. Mas a medida, que era provisória, caducou, e eles regressaram ao trabalho, embora noutras unidades. A informação foi confirmada pelo gabinete de imprensa da GNR ao Expresso.