Sociedade

Astrónomos descobrem Gaia BH1, o buraco negro mais próximo da Terra

Astrónomos descobrem Gaia BH1, o buraco negro mais próximo da Terra
Jacob Granneman/Unsplash

A descoberta do corpo celeste, denominado, a 1.600 anos-luz do nosso planeta, foi a primeira deteção na Via Láctea de um buraco negro de massa estelar que não está em atividade

Astrónomos descobriram o buraco negro mais próximo da Terra, a 1.600 anos-luz, tratando-se da primeira deteção na Via Láctea de um buraco negro de massa estelar que não está em atividade, foi esta sexta-feira divulgado.

A descoberta deste corpo celeste, denominado Gaia BH1, foi feita graças a observações precisas do movimento de uma estrela que o orbita a uma distância semelhante à que separa a Terra do Sol, indicou em comunicado o NOIRLab, um centro de investigação norte-americano na área da astronomia, que opera o telescópio Gemini Norte, no Havai, com que foram realizadas as observações.

Um buraco negro é um corpo denso e escuro, de onde nada escapa, nem mesmo luz, devido ao campo gravitacional intenso, pelo que a sua presença é inferida através da interação com outros corpos ou matéria.

Embora existam provavelmente milhões de buracos negros de massa estelar na Via Láctea poucos foram detetados. Nos casos em que foram detetados, tal deveu-se à interação com uma estrela na sua vizinhança.

O Gaia BH1, que tem uma massa 10 vezes superior à do Sol, é um buraco negro dito inativo, não está a alimentar-se do material da sua estrela vizinha, pelo que se confunde com o meio envolvente.

Os resultados da descoberta foram divulgados na publicação científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: clubeexpresso@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas