Exclusivo

Sociedade

Governo assegura o realojamento de 537 timorenses

Dezenas de timorenses estão sem abrigo, a viver junto à Praça do Martim Moniz, em Lisboa
Dezenas de timorenses estão sem abrigo, a viver junto à Praça do Martim Moniz, em Lisboa
José Fernandes

Intervenção social está a ser coordenada pelo grupo de trabalho interministerial criado de urgência pelo Governo para responder à vaga de imigrantes timorenses para Portugal. Até ao momento foram identificados 825 a viver em condições indignas

Quase um milhar de timorenses foram já referenciados pelo Alto-Comissariado para as Migrações (ACM) em alojamentos precários ou mesmo sem abrigo, principalmente no distrito de Beja e nos concelhos de Lisboa e do Fundão. Mas muitos mais viajaram para Portugal, nos últimos meses, no âmbito da recente vaga migratória, alimentada por falsas promessas laborais nas redes sociais, agências de auxílio à imigração (em Timor) e empresas de trabalho temporário (em Portugal), cada uma a ficar com uma parte dos até seis mil dólares pagos pela viagem e contrato. “Foi assegurado até ao momento o realojamento de 537 cidadãos em situações de habitação indigna e a integração de 161 no mercado laboral”, assegura a Secretaria de Estado da Igualdade e Migrações.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: RMoleiro@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas