Sociedade

Programa de intercâmbio Erasmus completa 35 anos com 13 milhões de participantes

19 setembro 2022 12:57

Na Universidade Nova de Lisboa, há já 11 alunos a regressar mais cedo de programas de mobilidade em Itália

massimo pinca

A Comissão Europeia vai assinalar, na terça-feira, o 35.º aniversário do programa de intercâmbio de estudantes e profissionais, numa altura em que 13 milhões de participantes já realizaram mobilidade desde a criação desta iniciativa

19 setembro 2022 12:57

Em comunicado hoje divulgado, o executivo comunitário indica que, para assinalar o 35.º aniversário do Erasmus+, o vice-presidente da instituição Margaritis Schinas e a comissária europeia com a tutela da Educação, Mariya Gabriel, vão reunir-se na terça-feira com 35 atuais e antigos participantes no programa, assim como com representantes da equipa fundadora do programa.

“O evento irá honrar as realizações do programa, que envolveu 13 milhões de pessoas desde a sua criação em 1987”, salienta a instituição.

Citado pela nota, Margaritis Schinas fala numa “história de sucesso com 35 anos que tem proporcionado oportunidades de mudança de vida a milhões de pessoas”, enquanto a comissária Mariya Gabriel destaca que, “todos os anos, mais de 600 mil europeus fazem uso das oportunidades que o Erasmus+ oferece”.

No ano de criação, o programa Erasmus proporcionou oportunidades de mobilidade de aprendizagem a 3.000 estudantes universitários, número que compara com os atuais 13 milhões de participantes ao longo destes 35 anos.

Para o período 2021-2027, o Erasmus+ tem um orçamento estimado de 26,2 mil milhões de euros, que quase duplicou em comparação com o programa anterior (2014-2020), numa verba também agora completada por cerca de 2,2 mil milhões de euros do instrumento de cooperação externa da UE.

Ao longo dos anos, o Erasmus+ passou de ser apenas dirigido a estudantes universitários para, hoje em dia, permitir oportunidades de cooperação e mobilidade para alunos e professores, no ensino e formação profissional, ensino superior e educação de adultos, bem como projetos para aprendizes, jovens, trabalhadores juvenis e mesmo (a partir de 2023) treinadores desportivos.

Em 2014, o nome da iniciativa mudou para Erasmus+ para assinalar o alargamento do programa a todos os domínios da educação, bem como à juventude e ao desporto e, já em 2021, registou-se uma nova expansão do âmbito geográfico e setorial, apesar da situação sanitária adversa.