Sociedade

IGAS abre inquérito à transferência de grávida do Hospital de Santa Maria (e quer ver esclarecidas cinco questões)

30 agosto 2022 13:45

jgi/jamie grill/getty images

Inspeção-Geral das Atividades em Saúde quer conhecer as razões, as condições e os responsáveis pela decisão de transferir a mulher com cerca de 30 semanas de gravidez que acabou por morrer no Hospital de São Francisco Xavier

30 agosto 2022 13:45

Uma grávida de 34 anos e nacionalidade indiana morreu quando estava a ser transferida para o São Francisco Xavier por falta de vagas no serviço de neonatologia do Hospital de Santa Maria. O caso vai ser alvo de uma investigação por parte da Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS).

“Por despacho do Inspetor-Geral de 30 de agosto de 2022, foi determinada a instauração de uma inspeção à transferência de uma utente grávida do Hospital de Santa Maria para o Hospital de São Francisco Xavier por uma alegada inexistência de vaga no Serviço de Neonatologia da primeira unidade hospitalar para internar o bebé quando fosse provocado o parto.” A decisão foi comunicada ao início da tarde desta terça-feira, horas depois de uma conferência de imprensa da equipa hospitalar do Santa Maria e de ser conhecida a demissão da ministra da Saúde, Marta Temido.

A Inspeção das Atividades em Saúde (IGAS) explica que a inspeção tem como objetivo investigar a situação descrita e responder a várias questões. “Qual foi a razão pela qual a utente foi transferida? Quem foram os responsáveis pela decisão de transferência e sob que pressupostos clínicos asseguraram que a utente poderia ser transferida em segurança? Qual era a situação do Serviço de Neonatologia do Hospital de Santa Maria na data da transferência? Em que circunstâncias ocorreu a morte da utente? Existiam soluções alternativas e mais seguras à transferência?”

Sobre as respostas, os inspetores garantem que serão divulgadas logo que possível.