Sociedade

“O Governo russo quer ver-me morto”: John Doe, o denunciante dos Panama Papers, quebra o silêncio e conta porque fez o que fez

22 julho 2022 10:06

Frederik Obermaier e Bastian Obermayer 

jacobo zanella

Na sequência das revelações, que passaram a ser conhecidas como Panama Papers e que foram publicadas sob os auspícios do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), o Primeiro-Ministro da Islândia, Sigmundur Davíð Gunnlaugsson, e o Primeiro-Ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, entre outros, foram forçados a apresentar demissão. Esta fuga de informação provocou protestos maciços em Londres, Reykjavik e outros locais e desencadeou o lançamento de milhares de investigações em todo o mundo

22 julho 2022 10:06

Frederik Obermaier e Bastian Obermayer 

Em 2015, um denunciante anónimo autodenominado “John Doe” contactou o Süddeutsche Zeitung (SZ) e partilhou mais de 2,6 terabytes de dados secretos, incluindo milhões de emails internos, com dois jornalistas. A sua origem era o escritório de advogados do Panamá, Mossack Fonseca, um dos mais importantes prestadores de serviços no negócio global de empresas offshore.