Sociedade

O abacate encareceu Tavira mas há quem não queira vender as terras (com vídeo)

9 janeiro 2022 15:34

Os abacates são apontados como os principais responsáveis pelo aumento dos preços dos terrenos agrícolas em Tavira, mas antes foram os frutos vermelhos que tudo desencadearam

9 janeiro 2022 15:34

“Ora, eu lá gosto disso.” É com um esgar que o Sr. Barradas desdenha da pera abacate que vende na sua banca no mercado municipal de Tavira. “A minha mulher é que gosta disso. Acho que come com mel e açúcar, nem sei.” Tem 76 anos – quase tantos anos de vida como de labuta no campo. Tem um bocadinho de tudo e há uns anos, quando “começou a moda do abacate”, usou um espaço do terreno para plantar abacateiros. Está encostado à pequena banca onde uma variedade de citrinos e diospiros se destacam. “Abacates não há muitos, só daqui a uns meses é que é o tempo deles.”

Tudo o que o casal vende no mercado é do seu terreno. É um pedaço de terra pequeno, assegura Maria José, de 68 anos e mulher do Sr. Barradas. “Às vezes também parto ao meio e ponho mel e limão. É muito bom”, garante. Foi ela que no dia em que umas laranjeiras morreram quis plantar abacateiros. “São poucas árvores mas de qualidade”, diz enquanto agarra nuns hasse, a variedade melhor e mais saborosa. “Estes são mesmo fresquinhos foram apanhados ontem à tarde da árvore. São bem bonitos, não são?” 

O casal Barradas recusa vender os terrenos nem que lhes apareça alguém com um bom negócio. “Herdei-os dos meus pais”, explica Maria José. 

LEIA A NOTÍCIA COMPLETA 
NA EDIÇÃO EM PAPEL DO EXPRESSO DESTA SEXTA-FEIRA

TEXTO: Marta Gonçalves VÍDEO: Rúben Tiago Pereira