Sociedade

A violenta máfia albanesa chegou a Portugal

7 novembro 2021 16:36

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Portugal é uma das portas de entrada da cocaína, por via marítima, para o Norte da Europa

tiago petinga/lusa

Criminosos usam o nosso país como ponto de passagem e para se esconderem. As autoridades estão “atentas”

7 novembro 2021 16:36

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Ravit Gurra estava sentado na esplanada de um café com os amigos, em Elbasan, a terceira maior cidade da Albânia, quando um homem lhe apontou uma pistola com um silenciador. Sem tempo para reagir, o advogado, de 50 anos, foi alvejado três vezes na cabeça e caiu sem vida no chão. Gurra defendera em tribunal vários grupos da família Capja, da máfia albanesa, tendo perdido os casos mais importantes. Abateram-no a sangue-frio por vingança.

As execuções à queima-roupa de inimigos, rivais e pessoas incómodas são uma das imagens dos gangues albaneses. Uma das mais marcantes deu-se em Hartlepool, cidade portuária do Reino Unido. Em janeiro, um grupo de quatro homens entrou numa loja onde comprou um machado, lâminas, fita adesiva, braçadeiras para cabos e corda de nylon antes de marcar um encontro com um conhecido traficante rival. Acabaram por não precisar de utilizar aquele material: deram-lhe simplesmente um tiro certeiro na cabeça com uma caçadeira de canos serrados e arrumaram o assunto. Há precisamente um ano, no Equador, três homens vestidos de polícias entraram na luxuosa propriedade de Adriatik Tresa, um poderoso traficante de cocaína albanês, e dispararam seis tiros à queima-roupa também com uma caçadeira. Tresa foi vítima de um ajuste de contas entre clãs.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.