Sociedade

€353 milhões, 100 km: Polónia avança com construção de muro para travar migrantes na fronteira com a Bielorrússia

29 outubro 2021 19:11

Polónia é um dos 12 Estados-membros da UE que pediram à União Europeia para financiar a construção de barreiras nas suas fronteiras. Ursula von der Leyen disse não

29 outubro 2021 19:11

O Parlamento polaco aprovou este sexta-feira o plano do Governo de construir um muro na fronteira com a Bielorrússia para impedir a passagem de migrantes e refugiados para a Polónia.

O custo do muro está estimado em 353 milhões de euros e este deve estender-se por mais de 100 quilómetros ao longo da fronteira oriental da União Europeia.

O Presidente polaco, Andrzej Duda, tinha já anunciado que assinaria a lei se esta fosse aprovada pelo Parlamento.

Milhares de migrantes, na sua maioria oriundos do Médio Oriente, atravessaram ou tentaram atravessar a fronteira da Bielorrússia desde o verão.

A União Europeia acusa o Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, de trazer cidadãos de países do Médio Oriente e África para Minsk e depois facilitar-lhes a passagem através das suas fronteiras para a Lituânia, Letónia e Polónia, como retaliação pelas sanções económicas da UE contra o seu regime.

Em resposta, a Polónia impôs um estado de emergência na zona fronteiriça, enviou milhares de soldados e legalizou a controversa prática de expulsão direta.

A Polónia é um dos 12 Estados-membros da UE que na semana passada pediram à União Europeia para financiar a construção de "barreiras" nas suas fronteiras.

Contudo, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que Bruxelas não iria financiar a construção de barreiras nas fronteiras da UE.

Von der Leyen relembrou aos líderes presentes na cimeira em Bruxelas na semana passada uma posição conjunta da Comissão e do Parlamento Europeu de que "não haverá financiamento para arame farpado e muros".

O primeiro-ministro polaco, o nacionalista Mateusz Morawiecki, insistiu que a Polónia está "sob ataque" da Bielorrússia e disse que o muro é essencial para "proteger" a Polónia.

As Nações Unidas pediram na semana passada uma ação urgente para salvar vidas e prevenir o sofrimento na fronteira entre a UE e a Bielorrússia após a morte de vários requerentes de asilo.