Sociedade

Europol alerta: há 16 mulheres jiadistas e 27 menores retidos na Síria com ligações a Portugal

Ângela Barreto viajou para a Síria em agosto de 2014, à revelia da família, para se casar com Fábio Poças
Ângela Barreto viajou para a Síria em agosto de 2014, à revelia da família, para se casar com Fábio Poças
d.r.

Relatório de terrorismo de polícia europeia realça crimes da extrema-esquerda e da extrema-direita bem como de suspeitos jiadistas com ligações a Portugal

O mais recente relatório da Europol sobre atividades terroristas na Europa faz menção a Portugal por diversas vezes na área da extrema-direita, extrema-esquerda e extremismo islâmico.

Jiadismo

A Europol destaca a condenação a 9 e 8 anos de prisão pelo Tribunal Criminal de Lisboa de dois jiadistas portugueses em 15 de dezembro de 2020, por dar apoio a atividades terroristas e financiar o terrorismo, com uma célula que se estendia ao Reino Unido. São eles Celso Rodrigues da Costa e Cassimo Ture.

Há o registo de 14 jiadistas portugueses desde o início do conflito armado na Síria que envolveu o autodenominado Estado Islâmico. Dois estão atualmente em prisões iraquianas (Nero Saraiva e Steve Duarte), onze terão morrido em combate e um deles encontra-se em parte incerta desde fevereiro de 2016.

Há 16 mulheres com ligações a Portugal, retidas em campos curdos para mulheres de jiadistas, juntamente com 27 menores.

A Europol destaca o caso da luso-holandesa Ângela Barreto, de 25 anos, com ligações à célula portuguesa de Leyton, que viahou para a Síria em 2014. Em novembro do ano passado, ela apresentou-se no consulado holandês em Istambul. Em janeiro foi extraditada para a Holanda, onde se encontra detida com acusações de pertencer a um grupo terrorista e por recrutar mulheres para o Estado Islâmico.

"Portugal expressou preocupações significativas decorrentes do eventual regresso ou repatriamento para a Europa dos jiadistas (e seus familiares) que viajaram para a Síria e Iraque e se integraram nas fileiras do Daesh nos últimos nove anos. No entanto, observaram também que, contrariamente às expectativas, o número de jiadistas e membros das suas famílias que regressaram à Europa tem sido relativamente baixo", escreve a Europol.

Extrema-direita

A Europol destaca o protesto do movimento Escudo Identitário contra as medidas do Governo para conter a pandemia. "Para esse fim, chegaram a unir esforços com grupos neonazis como o Blood & Honour", refere o relatório.

Extrema-esquerda

As autoridades portuguesas detiveram o conhecido anarquista espanhol. Trata-se do galego Gabriel Pombo da Silva, 52 anos, que foi preso em janeiro de 2020, em Monção. Era procurado pelas autoridades espanholas para cumprir uma pena de 30 anos de prisão por roubos à mão armada a agências bancárias, extorsão a empresários e homicídio.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: HFranco@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas