Sociedade

Os hábitos que a pandemia transformou, do teletrabalho às bicicletas

31 dezembro 2020 18:17

Raquel Albuquerque

Raquel Albuquerque

Texto

Jornalista

Helder Oliveira

Ilustração

helder oliveira

2020 trouxe mais teletrabalho, compras online, entregas à porta, plantas, sofás, pijamas e bicicletas

31 dezembro 2020 18:17

Raquel Albuquerque

Raquel Albuquerque

Texto

Jornalista

Helder Oliveira

Ilustração

Caíram as idas aos restaurantes e aumentaram as entregas de comida à porta e refeições cozinhadas em casa. Os cestos de compras encheram-se de carne e peixe, legumes e frutas, massas e arroz. Mas também de utensílios de cozinha, frascos e decorações, plantas e hortas, além de cimento e tintas para pequenas obras em casa. O confinamento em março e abril fechou as pessoas em casa e obrigou a uma mudança repentina de hábitos, mas oito meses depois nem tudo voltou ao que era. Há mais portugueses a comprar online, a trabalhar a partir de casa, a andar de bicicleta, a fazer exercício físico na rua e a procurar casas com terraços. Muitos desses hábitos enraizaram-se e anunciam a sua entrada em 2021.

Mais pijamas, meias e chinelos, mais secretárias, cadeiras e candeeiros, mais sofás e poltronas: tudo reflete a transformação que as casas sofreram nos últimos meses e as horas a mais que os portugueses passaram a estar entre as suas quatro paredes. “Com o impacto da pandemia foi claro o crescimento da importância da casa como um todo. Transformou-se muito rapidamente em escola, escritório, ginásio, espaço de brincadeira e de descanso”, resume Helena Gouveia, diretora de marketing da IKEA Portugal.