Sociedade

App StayAway Covid. Médicos criam códigos para menos de 2% dos casos

10 outubro 2020 17:32

Desde que a app está disponível, foram gerados apenas 430 códigos e desses só 113 foram inseridos, permitindo o alerta

10 outubro 2020 17:32

São a chave para o funcionamento da StayAway Covid, mas desde que a aplicação foi disponibilizada — a 1 de setembro — foram gerados pelos médicos não mais que 430 códigos, o conjunto de 12 dígitos que um utilizador poderá inserir no telemóvel, caso fique infetado e o deseje assinalar. O número foi avançado ao Expresso pelo INESC TEC, o instituto que desenvolveu a aplicação em parceria com o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto — ISPUP. Outro dado, este fornecido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), revela que, até esta quinta-feira, foram efetivamente inscritos por utilizadores 113 códigos.

Considerando que, entre 1 de setembro e 8 de outubro, Portugal registou 23.244 novos casos, a modéstia do total de códigos salta à vista — são menos de 2% dos novos positivos. Olhando para a percentagem da população que já descarregou a app — mais de 1,3 milhões de portugueses — e para a média de novos casos diários ao longo destas cinco semanas, “provavelmente deveríamos ter neste momento 3500 ou 3600 códigos gerados”, disse ao Expresso Rui Oliveira, administrador do INESC TEC. É, ainda assim, “um número em linha com outras aplicações na Europa”, considera.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.