A Revista do Expresso

Pedro Pina: “Ao fazeres o teu come out, também estás a admitir que mentiste a quem mais amas”

9 dezembro 2022 11:19

Grande entrevista ao português que é vice-presidente do YouTube e uma das personalidades LGBT mais influentes do mundo. O deste executivo de topo revela-se numa grande entrevista sobre a carreira, o momento atual - “Somos a única fonte independente de informação na Rússia. O Governo pode interromper o serviço mas não o faz” - e a vida (que começou no dia em que foi pai)

9 dezembro 2022 11:19

Nasceu e estudou em Portugal, mas viver lá fora era um sonho de menino — alimentado pelas muitas viagens feitas durante a infância — que acabou por cumprir. Começou a carreira nos escritórios portugueses da Procter & Gamble, voou para os headquarters londrinos e daí partiu para a Pepsi, nos Estados Unidos onde passou a trabalhar o mercado latino em Miami. na Florida. Seguiu-se São Paulo, onde se tornou diretor de marketing da Pizza Hut para a América Latina, mas os problemas de saúde maternos fizeram-no regressar a Portugal. Esteve na Sonae e foi diretor da McCann, depois passou a dirigir a operação ibérica a partir de Barcelona. Após a morte da mãe, recomeçou a sua vida em Londres e em 2013 surgiu a oportunidade de entrar na Google. Fez da tecnológica norte-americana a sua casa e quis fazer dela um espaço ainda mais aberto para a diversidade. Considerado uma das personalidades mais influentes da comunidade LGBT no mundo inteiro, Pedro Pina é hoje vice-presidente do YouTube para Europa, Médio Oriente e África (EMEA), mas o cargo que ocupa, no mesmo grupo que a Google, não o impede de dizer o que pensa. A importância da liberdade foi-lhe incutida desde cedo.

​Já imaginou como seria a sua vida se tivesse ficado sempre por Portugal?
Nunca pensei nisso. Para ser honesto, nunca pensei. Penso de vez em quando é se não é altura para regressar.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.