Revista de imprensa

Sondagem mostra Governo em queda de popularidade, mas PSD e PR também não têm nota positiva

21 janeiro 2023 11:21

Primeiro-ministro português, António Costa

piroschka van de wouw/reuters

A popularidade de António Costa está em queda, de acordo com uma sondagem feita já depois das polémicas provocados pelos casos de demissões no Governo. O barómetro da Aximage indica que o primeiro-ministro tem agora um saldo de 30 pontos negativos e o Governo está a perder a confiança dos portugueses. Mas ainda são mais aqueles que acreditam que irá cumprir o mandato até ao fim e acham que o PSD não está preparado para governar

21 janeiro 2023 11:21

A popularidade de António Costa está em queda desde as recentes polémicas, casos e ‘casinhos’ e sucessivas demissões no Governo, que resultam numa avaliação negativa dos portugueses.

De acordo com o barómetro da Aximage para o DN, JN e TSF, o primeiro-ministro tem agora um saldo de 30 pontos negativos (a diferença entre os 54% que dão nota negativa para os 24% que dão positiva). Mas ainda são mais os que acreditam que irá cumprir o mandato até ao fim (47%) do que os que apostam que tudo acabe antes de outubro de 2026 (41%).

O Governo e os seus ministros, em particular Fernando Medina, estão mesmo em queda livre na popularidade. Porém, a queda mais aparatosa é mesmo a do primeiro-ministro.

Nesta avaliação ninguém sai com boa nota. A oposição, quando avaliada em conjunto, volta a ter um resultado muito baixo (saldo negativo de 25 pontos). E nem o PSD não sai beneficiado desta nota negativa do governo. A maioria dos inquiridos responde que o PSD não está preparado para liderar o governo, ideia que vence até junto daqueles que se assumem como eleitores do PSD.

A nota negativa vai também para Marcelo Rebelo de Sousa. O estatuto de Presidente das ‘selfies’, dos abraços, dos afetos, da proximidade e dos comentários sobre tudo e um par de botas, não chegou para uma boa nota na última avaliação feita pelos portugueses.

Na análise do desempenho do Presidente da República, através desta sondagem da Aximage, nunca até agora foi tão curta a margem entre as opiniões positivas, agora nos 45%, e as notas negativas que galgam para os 35%.

E a tendência é mesmo essa. A avaliação de Marcelo Rebelo de Sousa tem vindo a cair de forma consistente, desde há um ano, registando o valor mais baixo desta sondagem, longe dos mais de 60% que já recolheu.

Analisando as respostas de há cerca de um ano e as atuais, com esta sondagem, fica claro que o Presidente caiu na aprovação dos mais velhos e entre os eleitores socialistas que, apesar de tudo, são aqueles que mais apoiam Marcelo.

Olhando para os resultados por outro prisma, as pessoas inquiridas depositam, ainda assim, mais confiança em Marcelo Rebelo de Sousa (47%) do que em António Costa (13%), enquanto 32% manifestam a mesma confiança nos dois. Mas mantém-se elevado o número daqueles que querem que o Presidente seja mais exigente para com o Governo: são 76% a favor e 17% contra.

Como resultado das demissões em série, em particular depois da demissão de Pedro Nuno Santos, na sequência da indemnização de 500 mi euros paga a Alexandra Reis, houve quem sugerisse a antecipação das legislativas, mas 58% dos inquiridos discorda dessa solução e quer manter o governo, por não acreditarem numa boa alternativa. Apenas 18% defende a antecipação da ida às urnas.