Política

Ventura atrasa luta na rua para tentar arrumar a casa

27 janeiro 2023 18:41

Ventura vai ter o palco quase só para si na convenção deste fim de semana

rui duarte silva

Federação sindical ainda não saiu do papel. Partido recua a estatutos de 2019

27 janeiro 2023 18:41

A federação sindical alavancada pelo Chega foi anunciada com pompa e circunstância. “Seremos o primeiro partido de direita a participar diretamente nas questões do mundo laboral”, congratulava-se André Ventura em outubro. O líder dizia então que o partido queria ter “o domínio da rua”, porque esta “não é um exclusivo da esquerda”. Os astros da luta pareciam alinhados: a Solidariedade — que pediu o nome emprestado ao congénere do amigo espanhol Vox e que tenta fazer eco do mítico sindicato polaco — agregaria “várias forças sindicais” em “áreas-chave”, como “as polícias, os professores, os profissionais de saúde e de segurança”. E Ventura antecipava “uma primeira grande concentração” no arranque deste ano.

Acontece que essa manifestação ainda não aconteceu e não voltou a falar-se do sindicalismo à Chega. Fonte oficial do partido justifica-se ao Expresso com o novo chumbo dos estatutos pelo Tribunal Constitucional (TC), que levaram ao agendamento da V Convenção do Chega, que decorre entre sexta-feira e domingo em Santarém. “Devido à convenção, que não estávamos à espera de realizar, só haverá novidades sobre o sindicato no fim do primeiro trimestre.” “Em todo o caso”, acrescenta, “convém fazer a ressalva de que o Chega não cria, porque não o pode fazer por lei, apenas promove e incentiva a criação de uma nova federação sindical.”