Política

Costa ultrapassa divergência com Marcelo na avaliação prévia de governantes e 'queima' secretárias de Estado demitidas

11 janeiro 2023 21:48

Rita Dinis

Rita Dinis

Jornalista

miguel a. lopes

Na véspera de aprovar em Conselho de Ministros o mecanismo de controlo prévio das nomeações, António Costa desvendou a ponta do véu do que vai ser (ou não ser) e revelou divergência com o PR. Direita atacou fraco crescimento económico, Ventura agarrou-se aos “casos” e Costa escudou-se nas secretárias de Estado já demitidas: violaram a lei, disse, tentando dar a volta à maré de má sorte. Medina saiu ileso

11 janeiro 2023 21:48

Rita Dinis

Rita Dinis

Jornalista

Uma semana depois de ter escapado a uma moção de censura, o primeiro-ministro voltou ao Parlamento para tentar passar uma borracha por cima das últimas semanas horribilis do Governo. Com uma remodelação forçada e fresca na memória e ainda com a vaga da recém-demitida secretária de Estado da Agricultura por preencher, António Costa ia preparado para três abordagens: primeiro, mostrar que, “quando os problemas surgem, é preciso encontrar soluções”, e para isso levava o trunfo do mecanismo de controlo prévio dos governantes que será aprovado esta quinta-feira em Conselho de Ministros; depois, demarcar-se da atuação das suas antigas secretárias de Estado já demitidas, assumindo que violaram a lei; e, por fim, mostrar resultados económicos positivos e criticar “os heterónimos da direita” que, à falta de críticas à realidade, se batem pelo vocabulário do “caos”.