Política

Cansado e “a precisar de férias”? Socialistas “desconfortáveis” com tom de António Costa

19 dezembro 2022 20:22

Rita Dinis

Rita Dinis

Jornalista

antónio cotrim/lusa

Entrevista de Costa e declarações recentes sobre Carlos Moedas estão a causar “desconforto” nos socialistas. Entre comparações com as maiorias “de má memória” de Sócrates e Cavaco e referências ao “cansaço” notório do primeiro-ministro, há quem resuma a irritabilidade a noites mal dormidas e a nove meses “infernais” de gestão de crises. Há quase um ano, quando ganhou as eleições, Costa prometia fazer diferente

19 dezembro 2022 20:22

Rita Dinis

Rita Dinis

Jornalista

Primeiro foi a entrevista à revista Visão, publicada na quinta-feira, onde aparece com pose e tom “absolutista”, depois foi a resposta “infeliz” que deu aos jornalistas no final do Conselho Europeu, em Bruxelas, sobre o facto de não ter ligado a Carlos Moedas por causa das inundações em Lisboa - que culminou num pedido de desculpas público no dia seguinte. O tom e a forma como o primeiro-ministro tem falado, que encaixa que nem uma luva na narrativa do “rolo compressor da maioria absoluta”, pôs várias vozes socialistas de pé atrás: enquanto uns veem sinais de comparação com maiorias absolutas de má memória, de José Sócrates e Cavaco Silva, outros tentam encontrar explicações mais “humanas” para desvalorizar os “tiques”: “Estamos todos a precisar de férias.”