Política

Governo vai mudar cálculo das pensões, ainda não sabe é como

8 setembro 2022 23:53

Elisabete Miranda

Elisabete Miranda

texto

Jornalista

Nuno Fox

foto

Fotógrafo

António Costa no Palácio da Ajuda onde anunciou as medidas de resposta à inflação e abriu uma polémica sobre pensões

Ministra assume ao Expresso que cumprimento da lei podia pôr em causa o sistema. PR já avisou que quer discussão aberta no Parlamento

8 setembro 2022 23:53

Elisabete Miranda

Elisabete Miranda

texto

Jornalista

Nuno Fox

foto

Fotógrafo

Quando em junho garantiu que cumpriria escrupulosamente as regras de atualização anual de pensões em 2023, António Costa fez uma promessa além das suas possibilidades. Com a inflação a bater sucessivos recordes, aplicar exatamente as regras significaria dar aos pensionistas um grande aumento no próximo ano, sem precedentes na história, e criar um enorme encargo permanente para as contas da Segurança Social. Três meses depois, a solução fica a meio caminho: dará todo o dinheiro aos pensionistas a que eles têm direito, mas distribui-o de forma diferente. Com isto, salvaguarda os rendimentos dos pensionistas no curto prazo, preserva as contas públicas no futuro, mas não respeita a lei que garantiu que iria aplicar.

Para já, o Governo recusa-se a falar do médio prazo e centra-se no plano anunciado. Preocupação número um: “Não há cortes de pensões, nem agora, nem no futuro”, sublinha ao Expresso a ministra Ana Mendes Godinho. “É bom que se consiga explicar que estamos a apoiar a recuperação do rendimento dos pensionistas”, com o “suplemento extraordinário” e, ao mesmo tempo a “garantir a sustentabilidade da Segurança Social, evitando que, num ano atípico possa pôr em causa todo o sistema”, insiste a ministra do Trabalho.