Ásia

Eleições em Timor-Leste com atrasos na divulgação de resultados devido a problemas técnicos e de Internet

Eleições em Timor-Leste com atrasos na divulgação de resultados devido a problemas técnicos e de Internet
JOAO CARREIRA

Quase 19 horas depois do fecho das urnas, no domingo, ainda só foram divulgados dados correspondentes a cerca de 48% dos centros de votação

O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) admitiu esta segunda-feira algumas falhas, devido a problemas técnicos e de internet, que estão a atrasar a divulgação dos resultados das eleições legislativas de domingo.

O diretor-geral do STAE, Acilino Manuel Branco, disse que tem havido problemas nas comunicações por internet dos municípios para Díli, para que a tabulação dos resultados possa ser inserida.

Quase 19 horas depois do fecho das urnas, no domingo, o STAE ainda só divulgou dados correspondentes a cerca de 48% dos centros de votação, o que equivale a cerca de 258 mil votantes, num universo de mais de 890 mil eleitores recenseados.

"Reconhecemos que há alguns atrasos, mas por razão de problemas da internet. Algumas informações não estão atualizadas 'online' de forma imediata, apesar de terem sido inseridas", disse.

"Em alguns locais não estamos a conseguir comunicar os dados entre os municípios. Estamos a contactar com Timor Telecom para elevar a capacidade", disse.

Além dos atrasos, tem havido várias críticas ao processo de divulgação dos resultados pelo STAE.

CNRT a liderar a contagem dos votos

Até ao momento, e segundo os dados mais recentes, estão contabilizados cerca de 48% dos centros de votação, com o CNRT a liderar a contagem com 39,89% dos votos, à frente da Fretilin com 27,89% dos votos.

As únicas formas de conhecer a contagem progressiva do resultado é visitar o próprio STAE, em Díli, e consultar duas televisões disponibilizadas no local ou, em alternativa, acompanhar o quadro da contagem, que é retransmitido pela Rádio Televisão de Timor-Leste (RTTL).

Ainda assim o sinal para a RTTL não é sempre em tempo real e, em vários momentos há um atraso significativo face à contagem já tabulada.

Os jornalistas que querem informar sobre os resultados têm que tirar fotografias aos ecrãs para poder registar os dados.

Não há qualquer site 'online' para consulta, e o STAE optou, este ano, e ao contrário do que fez nas eleições anteriores, de só divulgar os dados da contagem nacional, sem publicar os quadros com as contagens nos municípios e na diáspora, apesar de já estarem fechadas em alguns locais.

Os dados dessa votação nos municípios passam num longo rodapé nos ecrãs, não sendo possível conhecer os votos de cada partido, nem outros dados sobre a votação, como participação, indicando-se apenas as percentagens de cada partido.

As críticas ao STAE sobre a divulgação de resultados repetem-se ao longo de várias eleições, tendo a organização optado, na segunda volta das presidenciais, por abrir ao público um endereço 'online' onde se podia acompanhar a contagem.

Questionado sobre o modelo deste ano, Acilino Manuel Branco justificou a decisão com as opções dos técnicos contratados para desenhar o sistema informático, empresa diferente da do ano passado.

"Queremos continuar a promover transparência. Mas nada está previsto na lei ou nos regulamentos. Este é o modelo que está a ser usado este ano", referiu.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: clubeexpresso@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas