Ásia

Sismo na Turquia e na Síria provoca mais de 2600 mortos: o resumo do que já se sabe

Resgate após o terramoto de 7,8 sentido esta madrugada na Turquia e na Síria
Resgate após o terramoto de 7,8 sentido esta madrugada na Turquia e na Síria
MAHMOUD HASSANO(REUTERS

O abalo ocorreu às 04h17 (01h17 em Lisboa), a 33 quilómetros da capital da província de Gaziantep, no sudeste da Turquia, com a origem a uma profundidade de 17,9 quilómetros

Em atualização

Um sismo de magnitude 7,8 na escala aberta de Richter, que atingiu esta madrugada o sul da Turquia, fez pelo menos 2619 mortos no país e na Síria. O número de vítimas mortais tem vindo a ser atualizado nas últimas horas. Eis um resumo do que se sabe até agora:

  • Os números oficiais na Turquia apontam para pelo menos 1651 vítimas mortais, 11159 feridos e pelo menos 2818 edifícios destruídos. Na Síria, autoridades que atuam nas áreas controladas pelo governo notavam 570 mortos no último balanço, valor a que se somam os 430 reportados pela Defesa Civil da Síria, que opera nas áreas de oposição ao regime.
  • O abalo ocorreu às 04h17 (01h17 em Lisboa), a 33 quilómetros da capital da província de Gaziantep, com a origem a uma profundidade de 17,9 quilómetros. Poucas horas depois, pelas 13h24 locais (10h24 em Lisboa) um novo sismo de magnitude superior a 7 na escala de Richter ocorreu novamente no sudeste da Turquia.
  • 3.741 edifícios foram destruídos ou danificados nas dez províncias do sudeste da Turquia mais afetadas pelo terremoto;
  • O serviço de emergência turco, Afad, informou que 9.700 equipas de resgate estão a participar no trabalho de localização e assistência às vítimas;
  • Além de ter atingido a Turquia e a Síria, o sismo também se fez sentir no Egito, Líbano, Iraque, Geórgia, a República Turca do Chipre do Norte, e a Administração Grego-cipriota (a sul). Foram emitidos alertas e “pequenos tsunamis” foram registados nas águas próximas da costa de Falmagusta, mas não houve danos a registar, segundo as autoridades cipriotas. Entretanto, o alerta de tsunami foi levantado.
  • Dez equipas de busca e salvamento urbanos disponibilizadas por oito Estados-membros da União Europeia (UE) estão já na Turquia a dar assistência na sequência do sismo que provocou centenas de mortos neste país e na Síria. As equipas foram rapidamente mobilizadas a partir da Bulgária, Croácia, França, Grécia, Países Baixos, Polónia, República Checa e Roménia, sendo que Portugal também se mostrou disponível para deslocar meios de apoio, caso seja necessário.
  • A título individual, a Polónia irá enviar um grupo de resgate que inclui 76 bombeiros e 8 cães. Já o Governo indiano prometeu que duas equipas compostas por 100 pessoas, com esquadrões caninos especialmente treinados e equipamento, estavam prontas para ser enviadas de avião para a área afetada, enquanto a Rússia disse que tem dois aviões com 100 salvadores prontos a voar para a Turquia, se necessário.
  • Marcelo Rebelo de Sousa lamentou a tragédia na Turquia e na Síria e anunciou no site da Presidência da República que, “de acordo com as informações disponíveis, neste momento, não parece haver vítimas portuguesas nem na Turquia, nem na Síria”.
  • Segundo o IPMA, o sismo foi sentido nas redes sísmicas nacionais.

Notícia atualizada às 18h38

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: piquete@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas