Internacional

Objeção de consciência, uma escolha pessoal que não impõe lições de moral aos outros

29 dezembro 2022 12:56

Salomé Fernandes

Salomé Fernandes

jornalista da secção internacional

epa/sergei ilnitsky

Seja por crenças humanísticas ou religiosas, quem recusa usar violência pode pedir objeção de consciência em vários países para ficar isento de serviço militar. Como olham para a guerra na Europa e a vontade de um povo em defender-se?

29 dezembro 2022 12:56

Salomé Fernandes

Salomé Fernandes

jornalista da secção internacional

“Consideram-se objetores de consciência os cidadãos convictos de que, por motivos de ordem religiosa, moral, humanística ou filosófica, lhes não é legítimo usar de meios violentos de qualquer natureza contra o seu semelhante, ainda que para fins de defesa nacional coletiva ou pessoal”, descreve a lei de 1992 sobre objeção de consciência.