Internacional

Mais de 20 milhões de crianças afetadas pela seca no Corno de África, alerta a Unicef

23 dezembro 2022 10:33

A seca no Norte de África e Magrebe prevista para os próximos anos é muito superior à da média mundial

photo by cuellar/reuters

País mais atingido foi a Somália: quase 1,3 milhões de pessoas foram forçadas a fugir das suas casas devido à seca

23 dezembro 2022 10:33

Cerca de 20,2 milhões de crianças na Etiópia, Quénia e Somália são afetadas pela pior seca na região em 40 anos, um número que duplicou nos últimos cinco meses, alertou hoje a Unicef.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), quase dois milhões de crianças nestes três países do Corno de África sofrem de desnutrição aguda grave, o estado de fome mais "letal" que enfraquece o sistema imunitário e representa risco de morte. Além disso, se não for tratada, a desnutrição pode perturbar gravemente o desenvolvimento físico e cerebral das crianças.

"Embora os esforços coletivos e acelerados tenham mitigado algumas das piores consequências que eram temidas, as crianças do Corno de África continuam a enfrentar a seca mais grave em mais de duas gerações", disse o diretor regional da Unicef para a África Oriental e Austral, Lieke van de Wiel.

Cerca de 2,7 milhões de crianças foram também obrigadas a abandonar a escola devido à seca e outros 4 milhões correm esse risco, segundo a agência da ONU.

"À medida que as famílias são levadas ao limite e enfrentam um stresse crescente, as crianças enfrentam uma série de riscos, incluindo o trabalho infantil, o casamento infantil e a mutilação genital feminina", acrescentou.

Nos três países, cerca de 24 milhões de pessoas sofrem de escassez de água e mais de dois milhões foram deslocadas internamente devido a chuvas fracas, refere a Unicef.

O país mais atingido foi a Somália, onde o número de pessoas afetadas aumentou de 3,8 milhões em janeiro para mais de 7,8 milhões atualmente, de acordo com a ONU.

Quase 1,3 milhões de pessoas foram forçadas a fugir das suas casas na Somália devido à seca, depois de o número de deslocados ter quintuplicado até agora este ano.

A ONG Plan International afirmou no início de dezembro que mais de metade de todas as crianças com menos de cinco anos na Somália - cerca de 1,8 milhões - está gravemente subnutrida.