Internacional

Morreu Mikhail Gorbachev, o homem que descongelou a História. Tinha 91 anos

30 agosto 2022 21:54

sean gallup

Informação é avançada pela agência de notícias russa TASS. O último líder da União Soviética foi responsável pelo fim da Guerra Fria

30 agosto 2022 21:54

Morreu esta terça-feira Mikhail Gorbachev, o último presidente da antiga União Soviética e um dos responsáveis pelo fim da Guerra Fria. Tinha 91 anos e estava há algum tempo com a saúde debilitada. A informação está a ser avançada pela Associated Press e pela Reuters, que cita a agência de notícias russa TASS, que fala numa “doença longa e grave” como a causa da morte.

Gorbachev esteve por trás da abertura do bloco soviético ao mundo ocidental, mas não foi capaz de conter os protestos que várias repúblicas soviéticas iniciaram em 1989 contra o comunismo e a favor da independência, tendo acabado por assistir à desintegração do bloco de leste durante os dois anos seguintes.

O estadista tornou-se secretário-geral do Partido Comunista Soviético em 1985, aos 54 anos. Introduziu uma série de reformas económicas e sociais, incluindo mais liberdade de expressão e de imprensa. Estas políticas foram o grande desígnio do seu trabalho político, mas acabaram por ser decisivas para fomentar a luta por mais independência em várias repúblicas soviéticas, incluindo Letónia, Lituânia e Estónia, culminando no fim da União Soviética.

O seu legado político nunca foi consensual na Rússia atual. Ruslan Grinberg, um economista russo, visitou Gorbachev no hospital no dia 30 de junho. “Ele deu-nos a todos a liberdade, mas nós não sabemos o que fazer com ela”, desabafou à agência de notícias militares russa Zvezda.
Mikhail Gorbachev vai ser enterrado em Moscovo junto da sua mulher, Raisa, que faleceu em 1999, de acordo com a TASS, que cita uma fonte próxima da família.
Vladimir Putin, presidente russo, expressou as suas condolências pela morte do ex-líder soviético, segundo a agência estatal de Moscovo Interfax.

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirmou que “o seu legado não será esquecido”, lembrando o papel “crucial” de Gorbatchov no final da Guerra Fria e na abertura da União Soviética ao Ocidente.

Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido de saída do cargo, garantiu que as ações de Gorbachev são “um exemplo para todos nós”, lembrando a atual guerra da Rússia contra a Ucrânia. António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, lembrou um político “defensor da paz” e que “mudou o curso da história.”

O primeiro-ministro da Irlanda também já prestou homenagem ao ex-líder soviético. “Triste por saber da morte de Mikhail Gorbachev. O seu sentido histórico e o seu compromisso com reformas e na construção de pontes com o Ocidente mudaram o mundo”, escreveu Micheál Martin no Twitter.

Também Portugal já comentou a morte através do Presidente da Assembleia da República. “Na hora da sua morte, homenageio Mikhail Gorbachev. Ele foi essencial para o fim da Guerra Fria e para a transição democrática no Leste da Europa", escreveu no Twitter Augusto Santos Silva.