Internacional

Que países ganham e que países perdem com a invasão da Ucrânia? A guerra e o seu xadrez de interesses

daniel mihailescu

A invasão reconfigura o tabuleiro global de países com vantagens geopolíticas e oportunidades económicas

A regra geral sobre a invasão russa na Ucrânia é que quem tem mais a perder são os países dependentes da energia, alimentos e minérios fornecidos pelos dois países que protagonizam a guerra. Já os ganhadores são os que podem substituir a Rússia e a Ucrânia como fornecedores dessas matérias-primas. Há, porém, outras três certezas: nenhum país escapa ao aumento da inflação, todos serão afetados pelo encolhimento do mercado consumidor devido ao menor crescimento mundial, e os novos investimentos vão procurar democracias com instituições sólidas, em detrimento das autocracias onde o líder decide o destino do país, como a Rússia de Vladimir Putin.

“O impacto gerado pela pandemia e as alterações geopolíticas causadas pela invasão da Ucrânia terão fortes consequências na próxima década e abrem uma janela de oportunidades para produtores de alimentos, energia e minerais. A América Latina tem uma grande oportunidade de garantir a segurança mundial nesses três sectores”, indica ao Expresso Dante Sica, ex-ministro da Produção e do Trabalho argentino (2018-19) e sócio-fundador da consultora Abeceb, especializada em comércio e investimento na América Latina.