Internacional

Maixabel Lasa, vítima da ETA, ao Expresso: “São os presos arrependidos quem mais deslegitima a história da ETA”

20 outubro 2021 20:40

Maixabel Lasa

governo autonómico do país basco

No dia em que passam dez anos sobre o fim da violência terrorista do grupo separatista basco, o Expresso conversa com uma mulher que quis ir ao encontro dos assassinos do seu marido

20 outubro 2021 20:40

A organização terrorista ETA matou a tiro o marido de Maixabel Lasa, há 21 anos. Passados vários anos, ela não hesitou em sentar-se a falar com os assassinos. A viúva do antigo governador civil da província basca de Guipúscoa, Juan María Jáuregui, foi diretora do Gabinete de Atenção às Vítimas do Terrorismo do Governo regional do País Vasco entre 2001 e 2012. Nesse cargo incentivou encontros redentores entre vítimas e agressores, refletidos pela cineasta Icíar Bollaín no recém-estreado filme ‘Maixabel’, que conta a sua insólita e polémica decisão de conversar, em 2012, com os terroristas arrependidos de ter matado o seu marido.