Internacional

Afeganistão. Saída à pressa deixa herança pesada

18 julho 2021 19:00

Javed Rana, correspondente em Islamabade

Combatentes talibãs numa cerimónia de paz acordada com o Governo de Cabul

hoshang hashimi/afp via getty images

Washington declina responsabilidades pelo país que invadiu há 20 anos. Talibãs preparam reconquista

18 julho 2021 19:00

Javed Rana, correspondente em Islamabade

Na noite de 3 de julho houve uma falha de corrente inesperada na base aérea de Bagram, maior base militar no Afeganistão, não longe da capital, Cabul. Seguiu-se uma explosão de luzes na pista da base, enquanto o último lote de tropas americanas saía do Afeganistão. Era patente a sensação de insegurança num país prestes a ser retomado pelos talibãs, derrubados pelos Estados Unidos há 20 anos.

A partida discreta deu azo a pilhagem, por afegãos residentes perto da base, dos materiais que deixaram. Os americanos não avisaram o Governo por si apoiado, em Cabul, para assumir o comando da base, talvez por temerem ataques das forças de segurança afegãs, infestadas por talibãs, que nos últimos anos mataram mais de 150 militares da NATO.