Projetos Expresso

A luta por um futuro mais inclusivo é aqui

13 janeiro 2023 14:47

O futebol é um dos quatro desportos promovidos pela Talentos de Campeão para ajudar crianças

rui duarte silva

Crianças: numa camada da população fragilizada por uma combinação temível de pandemia e crise económica, pedem-se respostas para que os problemas não se agravem e, pelo contrário, se resolvam

13 janeiro 2023 14:47

Em contextos de grande vulnerabilidade económica e social é essencial dar apoios e ferramentas às crian­ças para que algo de substancial mude na sua realidade e no seu futuro. E é esse caminho que as 34 associações apoiadas pelo Prémio Infância (que pode conhecer em baixo) procuram trilhar com €1,3 milhões.

A finalidade é apoiar projetos que quebrem o ciclo de pobreza, facilitem o desenvolvimento na infância e adolescência e potenciem a família. É o caso do ASTA — Active Sport Talent for All, apresentado pela Talentos de Campeão — Associação Desportiva, em Vila Nova de Gaia, e que se baseia no “desenvolvimento de atividades desportivas de promoção da saúde e inclusão social em crian­ças e jovens que vivem em contextos de vulnerabilidade psicossocial, familiar, escolar ou económica”, explica o gestor de projetos João Silva. Serão promovidas “mais de 150 atividades ao longo do projeto, que incluem treinos semanais personalizados em quatro desportos diferentes: dança, futebol, natação e xadrez”. Os €37.130 recebidos darão corpo ao projeto, com a preocupação de o “impacto gerado não se desvanecer no período previsto de financiamento”.

A partir de Ponta Delgada, a Solidaried’arte — Associação de Educação e Integração pela Arte e Desenvolvimento Cultural Social e Local pretende capacitar profissionais para potenciar as competências cognitivas, emocionais e sociais de crianças dos 3º e 4º anos. Como? Através de projetos como o Fantoche Não És!, que apresenta “uma intervenção especializada utilizando o tea­tro de marionetas enquanto ferramenta” para abordar “temas como autoestima, emoções, regulação emocional, tomada de decisão, entre outras”, explica a gestora de projetos Carmen Bettencourt. O prémio de €21.500 “será aplicado na criação, versão digital, do programa”, que terá o nome de Bem Me Quer(o)!. “Para este efeito, será criado um conjunto de cinco histórias, dinamizadas com marionetas.”

Pelo seu lado, a Confiar — Associação de Reinserção Social recebeu €82.760 para o projeto ESCADA, de “acompanhamento das crianças filhas de mães reclusas, que se encontrem, ou não, a residir com estas na Casa das Mães do Estabelecimento Prisional de Tires, e às próprias mães, com vista ao seu desenvolvimento pessoal e emocional, à promoção de competências parentais, à adoção de competências pró-so­ciais, bem como à reparação das relações familiares”, revela a coordenadora executiva, Carolina Viana. Tudo numa “perspetiva de proteção, combate à exclusão e à vulnerabilidade, de reparação das relações familiares e de rompimento com o ciclo de conflito com a lei no seio familiar”.

Alerta: em risco e mais expostas

O perigo de pobreza das crianças é elevado e as ameaças de segurança multiplicam-se

Os perigos estão ao virar de cada esquina, e a situação social de uma parte significativa da camada infantil da população portuguesa não dá margem para procrastinar. De acordo com os dados mais recentes do Eurostat, 22,9% das crianças — o que corresponde a cerca de uma em cada quatro — com menos de 18 anos vivia, em 2021, em situação de pobreza ou exclusão social, o que, apesar de nos colocar abaixo da média da UE de 24,4%, revela uma situação preocupante, até porque o organismo europeu salienta que entre as consequências está, entre outras, uma ­maior dificuldade em conseguir bons resultados escolares.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, 123 mil crianças em Portugal vivem em pobreza extrema e a taxa do risco de pobreza das crianças em famílias monoparentais é de 30%, e os efeitos são claros. “A pandemia teve efeitos muito perversos. Vê-se, por exemplo, na educação”, explica Dulce Rocha, presidente do IAC — Instituto de Apoio à Criança, “com as crianças mais desfavorecidas a não conseguirem acompanhar” o ritmo e muitas a serem mais “submetidas a maus-tratos”.

A abordagem nem sempre é fácil, mas a responsável considera que “é sempre possível que um olhar preocupado com os direitos humanos consiga melhorar as situações”. Ao mesmo tempo, pede “ao Estado para se abrir mais à sociedade civil”, porque as “associações no terreno estão mais próximas dos problemas”, e não queremos ter “soluções iguais àquelas que existiam há 40 anos”. E real­ça: “O percurso marginal pode ser interrompido se investirmos em respostas mais humanizadas.”

Distinguidos com o prémio infância

  • ADICE — Associação para o Desenvolvimento Integrado da Cidade de Ermesinde
  • Ajudaris — Associação de Solidariedade Social
  • Associação Academia do Johnson Semedo
  • Associação Aprender em Parceria — A PAR
  • Associação Cultural Recreativa e Social de Samuel
  • Associação de Ajuda ao Recém-Nascido
  • Associação de Solidariedade Social do Alto Cova da Moura
  • Associação Grão Vasco
  • Associação No Bully Portugal
  • Associação Passa Sabi
  • Associação Terra dos Sonhos
  • Candeia, Associação para a Animação de Crianças e Jovens
  • CCTC — Centro Comunitário da Terra Chã, IPSS
  • Centro de Apoio Social de Pais e Amigos da Escola nº 10
  • Centro Doutor João dos Santos — Casa da Praia
  • Centro Social Paroquial do Campo Grande
  • CiRAC — Círculo de Recreio, Arte e Cultura de Paços de Brandão
  • Clube Desportivo Paços de Brandão
  • Confiar — Associação de Fraternidade Prisional — Portugal
  • Epic Student — Associação
  • Fundação Infantil Ronald McDonald
  • Lar de Nossa Senhora do Livramento
  • Mundo A Sorrir — Associação de Médicos Dentistas Solidários
  • ONGD MÃO NA MÃO — Associação Crianças do Mundo
  • ProChild CoLab Against Poverty and Social Exclusion — Association
  • Qualificar para Incluir, Associação de Solidariedade Social
  • Santa Casa da Misericórdia da Covilhã
  • Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Velho
  • Sê Mais Sê Melhor — Associação para a Promoção do Potencial Humano
  • SEVERI — Associação Cultural de Expressão Dramática de Sever do Vouga
  • Solidaried’arte — Associação de Educação e Integração pela Arte e Desenvolvimento Cultural Social e Local
  • Talentos de Campeão — Associação Desportiva
  • Universidade Católica Portuguesa
  • Vida Norte

PROJETO SOLIDARIEDADE

O Expresso associa-se pelo terceiro ano consecutivo ao BPI/Fundação “la Caixa” para debater os desafios da solidariedade, do terceiro sector, das instituições que apoiam a infância, os jovens, os adultos, os seniores, as populações em zonas rurais e as pessoas com deficiência.

Textos originalmente publicados no Expresso de 13 de janeiro de 2023