Transportes

Comissão de Inquérito à TAP irá ouvir João Galamba já na próxima quinta-feira

Comissão de Inquérito à TAP irá ouvir João Galamba já na próxima quinta-feira
JOSÉ SENA GOULÃO/Lusa

Ministro das Infraestruturas é ouvido um dia depois de falarem aos deputados o seu ex-adjunto com que se incompatibilizou, Frederico Pinheiro, e a atual chefe do seu gabinete, Eugénia Cabaço

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) à TAP chegou a acordo para antecipar a audição de João Galamba para a próxima semana. A audição ficou agendada para dia 18 de maio, a próxima quinta-feira.

A data foi anunciada por António Lacerda Sales, o novo presidente da CPI à TAP, após a reunião de mesa e coordenadores, que teve lugar esta sexta-feira, 12 de maio, no Parlamento.

O ministro das Infraestruturas é ouvido dia 18, um dia depois das audições do seu antigo adjunto que o acusa de ter tentado omitir informação à própria CPI. A audição de Frederico Pinheiro é dia 17, pelas 14h, enquanto Eugénia Cabaço, chefe do gabinete de Galamba, fala três horas depois.

“Foi consensualizada entre os diferentes grupos a agenda de audições da próxima semana”, indicou Lacerda Sales aos jornalistas, mudando aquela que era a agenda anteriormente pensada. João Galamba seria ouvido apenas na semana seguinte, mas entretanto houve acordo para que houvesse esta mudança. Os trabalhos da CPI têm vivido alguma tensão recente, e uma delas era o agendamento de audições parlamentares.

Já se sabia que na próxima semana seriam ouvidos o ex-adjunto e a chefe do gabinete de Galamba, mas o ministro seria apenas ouvido na semana seguinte. Agora, foi acordada a alteração de audições: por exemplo, Maria Araújo, a chefe do gabinete do antigo ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos, seria ouvida na próxima semana, mas a sua audição foi entretanto adiada.

O objetivo da CPI era ouvir apenas os ministros no fim dos trabalhos, mas os desacatos no Ministério das Infraestruturas levaram a Iniciativa Liberal a pedir a sua audição “urgente”, o que vai entretanto acontecer.

João Galamba exonerou Frederico Pinheiro das suas funções de adjunto (que era da equipa do antecessor, Pedro Nuno Santos), por “comportamentos incompatíveis” com os seus deveres: o ministro acusa-o de ter ocultado informação (notas saídas de uma reunião que teve com a presidente da TAP e o grupo parlamentar do PS um dia antes de uma audição parlamentar, em janeiro deste ano); o antigo adjunto diz que foi o ministro que quis ocultar tais notas da CPI.

Esse desentendimento também se fez sentir na tentativa de Frederico Pinheiro recuperar o seu computador de trabalho no Ministério das Infraestruturas quando a exoneração tinha sido já comunicada pelo ministro (mas não oficializada, que só ocorreu esta semana), o que levou a confrontos físicos com membros do gabinete de Galamba, incluindo Eugénia Cabaço.

A ligação para pedir o envolvimento das secretas na recuperação do computador (que teria documentos classificados), e as chamadas às autoridades policiais são pontos que ocorreram nesse dia 26 de abril.

Na próxima semana, no dia 16, haverá ainda duas audições, mas não ligadas a esta temática: o antigo presidente da Parpública, Pedro Ferreira Pinto; e o membro da Comissão de Vencimentos da TAP, Luís Cabaço Martins.

(Notícia atualizada às 12h20 com mais informações)

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: dcavaleiro@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas