Economia

Salário médio dos portugueses só cresceu 3% desde 2010

12 janeiro 2023 23:48

Cátia Mateus

Cátia Mateus

textos

Jornalista

Sónia M. Lourenço

Sónia M. Lourenço

textos

Jornalista

Aumento da participação das mulheres foi uma das grandes transformações do mercado de trabalho nas últimas cinco décadas

arquivo expresso

Desde 1973, a evolução das remunerações em Portugal teve fases distintas. Vencimento médio subiu 66% em 50 anos, mas praticamente estagnou desde 2010

12 janeiro 2023 23:48

Cátia Mateus

Cátia Mateus

textos

Jornalista

Sónia M. Lourenço

Sónia M. Lourenço

textos

Jornalista

Em cinco décadas muita coisa mudou no mercado de trabalho português. O aumento da participação das mulheres, a grande expansão das qualificações e a terciarização do emprego em detrimento da Agricultura e da Indústria, estão entre as principais transformações que marcam Portugal em matéria laboral desde 1973. Foram acompanhadas pelo desenvolvimento do sistema de proteção social e por um crescimento dos salários que, contudo, tem desiludido nas últimas duas décadas. Entre 1973 e 2021 o salário médio em Portugal aumentou 65,6% em termos reais. Porém, desde 2010 o ganho acumulado não vai além dos 3,1%.

Os números solicitados pelo Expresso ao Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a evolução da remuneração média por trabalhador não deixam margem para dúvidas: em cinco décadas, em termos nominais, a remuneração média no país têm uma trajetória sempre ascendente, com exceção dos anos da troika. Mas numa análise em termos reais — ou seja, considerando o impacto da inflação para aferir a evolução do poder de compra associada ao salário — chega-se a conclusões bem diferentes. Entre 1973 e 1980 verifica-se mesmo uma queda de 2,9%. Cenário que se inverte na década seguinte, com o salário médio no país a chegar a 1990 mais de 12% acima do registado em 1980. Um incremento que atinge os 37,8% na década seguinte (entre 1990 e 2000).