Economia

Renováveis abasteceram 92% do consumo de eletricidade do país em dezembro

1 janeiro 2023 11:05

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O ano 2022 teve uma menor incorporação renovável na eletricidade do que 2021, mas no mês de dezembro o peso das energias limpas em Portugal chegou aos 92%, com uma forte produção hídrica

1 janeiro 2023 11:05

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

As fontes renováveis abasteceram 92,1% do consumo de eletricidade em Portugal no último mês de 2022, o maior registo mensal de incorporação de energias limpas do ano que passou, de acordo com os dados da REN - Redes Energéticas Nacionais.

Dezembro terminou com 4076 gigawatt hora (GWh) de produção renovável, para um consumo de 4428 GWh, sendo que o maior contributo veio da hídrica, que abasteceu 47,1% do consumo de eletricidade em Portugal em dezembro, seguida da eólica, com 36,5%. A energia solar e as centrais a biomassa complementaram a geração renovável do mês.

Mas o terceiro maior volume de eletricidade ainda veio da produção a partir do gás natural, com um volume equivalente a 21,6% do consumo mensal do país, na sua maior parte proveniente das centrais de ciclo combinado.

A soma da produção renovável e da produção não renovável (gás) ultrapassou o consumo de eletricidade de Portugal no mês de dezembro, levando uma boa parte da energia elétrica gerada no país a ser exportada para Espanha.

E o último dia do ano voltou, à semelhança de alguns dias anteriores, a ter um registo excedentário de renováveis: este sábado foram gerados em Portugal 9654 GWh de eletricidade renovável, mais 43% do que a eletricidade consumida no país, o que se traduziu num forte saldo exportador.

No conjunto de dezembro houve em termos homólogos (face ao mesmo mês do ano passado) um crescimento de 174% na produção hidroelétrica, com a eólica a recuar 13% e a produção a gás a baixar 16%.

Em dezembro de 2021 Portugal tinha tido uma incorporação de renováveis de 67% no consumo de eletricidade desse mês.

Ano 2022 com 50% de renováveis

Pelas contas do Expresso, a partir dos dados provisórios de dezembro publicados pela REN, Portugal terá fechado 2022 com uma produção acumulada de renováveis equivalente a 50% do consumo anual.

É um registo mais baixo do que os 59% de incorporação renovável alcançados em 2021, mas praticamente em linha com o contributo de 2020, quando as fontes limpas representaram 51% do consumo de eletricidade anual.

A descida da incorporação renovável é explicada pelo facto de 2022 ter sido um ano especialmente seco, com menor produção hídrica, que levou a um maior recurso às centrais de ciclo combinado a gás natural.

De janeiro a novembro o sistema elétrico português estava com uma incorporação renovável de apenas 46%, que comparavam com 59% no mesmo período do ano anterior.