Economia

Fuga de capital do Credit Suisse está praticamente estancada, diz presidente

Fuga de capital do Credit Suisse está praticamente estancada, diz presidente

O levantamento de fundos do Credit Suisse, que alcançou os 85 mil milhões de euros no início de outubro, está quase estancado e já se nota o regresso de depositantes de elevado património, disse o presidente do banco

As saídas de capital do Credit Suisse estão praticamente estancadas e já se começam a registar entradas de capital, disse o presidente do Credit Suisse, Axel Lehmann, numa entrevista à Bloomberg esta sexta-feira, 2 de dezembro.

O banco tem vindo a lidar com elevados levantamentos de fundos, que alcançaram os 84 mil milhões de francos suíços (85 mil milhões de euros) no início do quarto trimestre. Segundo Lehmann, citado pela agência, a maior parte dos levantamentos ocorreu em outubro e deverão ter parado já.

De acordo com os cálculos do banco, o Credit Suisse perdeu cerca de 10% dos fundos depositados na operação de gestão de ativos devido às desconfianças dos clientes em relação à solvabilidade da instituição.

“Quando falo com clientes já sei que vai haver entradas de capital (…), já estamos a ver isso a acontecer. Então temos planos de continuar a chegar a clientes. Pode demorar algum tempo mas irão regressar e irão regressar ao normal”, disse Lehmann à Bloomberg.

A queda do valor das ações do banco, numa altura em que se aproxima um aumento de capital na instituição financeira, é um problema, dizendo que “quando se é um investidor no Credit Suisse por 20 anos e vemos onde está a cotação, há debates desafiantes”. “Creio que os principais acionistas acreditam em nós e irão exercer os seus direitos”, acrescentou o gestor.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: piquete@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas