Economia

Empresas de pagamentos unem-se contra “endogamia enorme” de quem domina o mercado

19 novembro 2022 17:33

Diogo Cavaleiro

Diogo Cavaleiro

textos

Jornalista

Nuno Fox

foto

Fotógrafo

João Câmara lidera a ANIPE, que junta agora nove empresas do sector de pagamentos

Associação recusa antagonismos, mas quer abrir mercado liderado pela SIBS e banca

19 novembro 2022 17:33

Diogo Cavaleiro

Diogo Cavaleiro

textos

Jornalista

Nuno Fox

foto

Fotógrafo

“Vivemos num mercado com intervenientes altamente sistémicos, com uma endogamia enorme, onde existem muito poucos players, com uma interdependência muito grande.” O retrato é do mercado de pagamentos em Portugal e é deixado ao Expresso por João Câmara, presidente da recém-criada Associação Nacional de Instituições de Pagamentos e Moeda Eletrónica (ANIPE).

O “ecossistema” conta com a SIBS, a gestora da rede Multibanco e incumbente nos pagamentos no país, que é detida pelos bancos, que também ali são figuras centrais. João Câmara assume que há “desafios” por resolver para “uma maior concorrência no mercado”, mas não quer responsabilizar nenhuma entidade especificamente. O que é certo é que as associa­das da ANIPE — começaram oito, já se juntou outra, desde a SaltPay à Payshop, passando pela Unicâmbio — se uniram para alterar esse enquadramento. É, conta o presidente da associação, um “esforço de trazer concertação e uma posição comum a um sector que é muito heterogéneo, com empresas com um vasto leque de serviços no sector de pagamentos, na sua maioria pequenas e médias empresas, com uma forte carga de inovação”.