Economia

“Rutura de medicamentos vai agravar-se”, alerta presidente da associação dos medicamentos genéricos e biossimilares

8 novembro 2022 7:00

Maria do Carmo Neves, presidente da APOGEN

d.r.

Não há tempo a perder, diz Maria do Carmo Neves. A presidente da associação Apogen defende que é urgente reduzir a Contribuição Extraordinária sobre a Indústria Farmacêutica e atualizar os preços

8 novembro 2022 7:00

A presidente da Associação Portuguesa de Medicamentos Genéricos e Biossimilares (Apogen), Maria do Carmo Neves, alerta que há o risco sério de faltarem cada vez mais medicamentos aos doentes portugueses porque os custos de produção aumentaram de tal forma que cada vez mais moléculas, cuja patente já expirou – caso dos genéricos e dos biossimilares –, estão a deixar de ser viáveis para esta indústria. Isto porque os preços de produção são superiores ao preço administrativo, que é regulado e definido pelo Estado, e a falta de rentabilidade está gerar ruturas sucessivas em alguns fármacos.