Economia

Oposição confronta Governo: controlar as rendas corta rendimentos e faz desaparecer casas do mercado, acusa IL

16 setembro 2022 11:10

joão carlos santos

Controlar as rendas vai fazer com que “os mais velhos fiquem sem rendimento extra e os mais novos com menos casas para arrendar e a preços mais altos”, disse o deputado liberal, Carlos Guimarães Pinto, no debate no Parlamento onde se discute o pacote anti-inflação do Governo

16 setembro 2022 11:10

A Iniciativa Liberal considera que a medida do Governo que limita o aumento das rendas a 2% vai fazer com que “os mais velhos fiquem sem rendimento extra e os mais novos com menos casas para arrendar e a preços mais altos”. A afirmação veio do deputado liberal Carlos Guimarães Pinto, no debate desta sexta-feira na Assembleia da República, onde se discute o pacote anti-inflação apresentado pelo Governo no início do mês.

Em causa está a proposta de lei do Governo que determina que em 2023 “não se aplica o coeficiente de atualização anual de renda dos diversos tipos de arrendamento”. Na prática, as rendas ficam limitadas a um aumento de 2%, inferior ao coeficiente de atualização que resulta da totalidade da variação do índice de preços no consumidor, sem habitação, e que para 2023 foi calculado em 5,43%. Há, portanto, um corte de mais de 3%.

De acordo com Carlos Guimarães Pinto, há uma “perda na confiança no mercado de arrendamento”. “Espera-se que o Estado cumpra o seu papel de árbitro isento e previsível, o que o PS está a fazer é uma medida de controlo de rendas que desvalorizara o poder de compra dos pequenos proprietários”, acrescentou.

E continuou o ataque aos socialistas, citando o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos: “Qualquer controlo de rendas vai fazer desaparecer os senhorios que ainda temos no mercado”. "Não sei se mudou de ideias, mas há quatro meses tinha razão, criticou.

“Nós só teremos mercado de arrendamento se tivermos senhorios disponíveis para arrendar. O que teremos com isto é menos senhorios e preços mais altos”, disse. Adicionalmente, considera que o PS baixou as pensões aos reformados e ainda lhes vai retirar “esse rendimento extra”. Assim, "todos vão sofrer com isto, os mais velhos ficam sem rendimento extra e os mais novos com menos casas para arrendar e a preços mais altos”.