Economia

UE com défice comercial de 244 mil milhões de euros até julho, pressionada pela energia

15 setembro 2022 11:41

tiago miranda

Nos primeiros sete meses do ano passado a União Europeia tinha registado um excedente no comércio internacional de bens. De janeiro a julho deste ano, apresentou um défice de 244,2 mil milhões de euros

15 setembro 2022 11:41

Nos primeiros sete meses do ano, as importações de bens energéticos dos países da União Europeia (UE) aos restantes países do mundo aumentaram 158% face ao período homólogo, e foram a principal causa do défice comercial de bens, que se cifrou nos 244,2 mil milhões de euros. Este valor compara com um excedente homólogo de 98,8 mil milhões de euros, de acordo com o Eurostat.

Segundo a primeira estimativa da autoridade estatística europeia divulgada esta quinta-feira, 15 de setembro, as exportações de bens da UE para o resto do mundo subiram 17,2% para 1,45 biliões de euros, ao passo que as importações cresceram 48,9% para 1,69 biliões de euros.

O défice ocorre numa altura em que as importações de energia mais caras, porque escassas e pagas em dólares, como o crude, neste momento em paridade com o euro, têm um impacto significativo na balança comercial comunitária, interrompendo anos de excedentes na balança comercial de bens.

Na zona euro, de janeiro a julho, o défice comercial de bens na zona euro foi de 177,4 mil milhões de euros face a um excedente homólogo de 121,3 mil milhões de euros. Nos primeiros sete meses do ano, as exportações de bens da zona euro para o resto do mundo aumentaram 17,9% para 1,63 biliões de euros, ao passo que as importações aumentaram 43,4% para 1,81 biliões de euros.

Nos dados referentes a julho, a UE registou um défice de 42,3 mil milhões de euros no comércio internacional de bens em julho, face a um excedente de 15,6 mil milhões de euros registados no mês homólogo.

Em julho, os 27 países da UE viram as importações de bens aumentarem 47,6% face ao mês homólogo para os 253,8 mil milhões de euros, ao passo que exportaram 211,6 mil milhões de euros, mais 12,8% face a julho de 2021.

Portugal com terceiro maior crescimento das exportações em julho

Portugal foi, em julho, o terceiro país da UE a registar o maior aumento das exportações para fora da UE (com uma subida superior a 40%), a seguir à Eslovénia (57,3%) e à Grécia (56,2%).

Já a zona euro registou em julho, de acordo com a primeira estimativa do Eurostat, um défice comercial de bens de 34 mil milhões de euros, face a um excedente de 20,7 mil milhões de euros em julho de 2021.

As exportações de bens dos países da moeda única para o resto do mundo aumentaram em 13,3% face a julho do ano passado para os 235,5 mil milhões de euros. As importações de bens aumentaram a um ritmo muito superior, em 44%, para os 269,5 mil milhões de euros.