Economia

Aquila Clean Energy capta mil milhões de euros para projetos de energia renovável em Portugal e Espanha

7 setembro 2022 12:46

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Foto: Getty Images

A Aquila Clean Energy assegurou 400 milhões de euros do BEI e 600 milhões de euros de um consórcio de sete bancos comerciais para desenvolver mais de meia centena de projetos de energia solar e eólica em Portugal e Espanha

7 setembro 2022 12:46

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Aquila Clean Energy, empresa do grupo Aquila Capital dedicada ao investimento em energias renováveis, assegurou um financiamento de mil milhões de euros para desenvolver uma carteira de 2,6 gigawatts (GW) de nova capacidade solar e eólica em Portugal e Espanha ao longo dos próximos três anos.

A empresa irá construir mais de meia centena de centrais na Península Ibérica. Em Portugal os projetos serão instalados em Setúbal, Coimbra, Évora e Leiria, de acordo com um comunicado divulgado esta quarta-feira pela Aquila Capital.

O financiamento, com o apoio do programa InvestEU, é composto por uma linha de crédito de 400 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento (BEI) e por 600 milhões de euros financiados por um consórcio bancário, que inclui o Santander, Natwest, KFW, BNP Paribas, ING, Intesa Sanpaolo e Sabadell. Estes mil milhões de euros serão complementados por outros mil milhões de euros de fundos próprios da Aquila angariados junto dos seus investidores institucionais.

Konstanze Kinne, gestora da Aquila Capital responsável pelo financiamento externo da empresa, explicou ao Expresso que esta foi “a primeira vez que a Aquila fez um financiamento de curto prazo numa grande escala”. O financiamento com os bancos comerciais é de três anos, prorrogáveis por mais dois. O financiamento com o BEI é de cinco anos.

A expectativa da Aquila é usar este financiamento para o desenvolvimento e construção dos 2,6 GW de nova capacidade na Península Ibérica, sendo que quando os projetos estiverem concluídos poderão ser vendidos a novos investidores.

Konstanze Kinne realça que a opção da Aquila foi financiar a carteira de projetos como um todo, em detrimento de procurar financiar projeto a projeto, de forma a conseguir economias de escala e poupar alguns custos nos projetos.

“Eu lido com os bancos e o apetite da banca por financiar projetos de energia limpa é enorme”, explicou Konstanze Kinne ao Expresso.

Os projetos que agora serão desenvolvidos na Península Ibérica são uma parte relevante da carteira de projetos da Aquila em matéria de energias renováveis. Globalmente, a gestora de ativos gere uma carteira de 12 GW de projetos de energia limpa (incluindo solar, eólica e hídrica), dos quais 8,2 GW na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África).