Economia

Duarte Cordeiro admite que última proposta de Bruxelas sobre o gás "já responde" a preocupações portuguesas

26 julho 2022 8:52

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Susana Frexes

Susana Frexes

correspondente em Bruxelas

Duarte Cordeiro, ministro do Ambiente e da Ação Climática

rodrigo antunes/lusa

O ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro, abriu a porta a um voto favorável de Portugal à mais recente proposta da Comissão Europeia de um regulamento sobre cortes no consumo de gás

26 julho 2022 8:52

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Susana Frexes

Susana Frexes

correspondente em Bruxelas

O ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro, abriu a porta a que Portugal vote favoravelmente a última proposta da Comissão Europeia para um regulamento que visa promover um corte do consumo de gás no Velho Continente, mas com um conjunto de excepções.

"Esta última proposta já responde a algumas questões que temos vindo a levantar, mas vamos esperar para ver se é a última proposta", comentou Duarte Cordeiro esta terça-feira em Bruxelas, à entrada para a reunião do Conselho da União Europeia dedicado ao tema da energia.

"Todos os países contribuirão na medida das suas possibilidades e limitações. Foi muito importante terem ficado expressas algumas dessas limitações", referiu ainda o ministro do Ambiente, vincando que as questões levantadas por Portugal "ficaram respondidas" na última proposta de regulamento que foi partilhada com os Estados-membros antes do início do Conselho desta terça-feira.

Duarte Cordeiro notou que "a solidariedade de Portugal está sempre presente", mas é preciso aguardar pelo final da reunião de hoje para perceber se a última versão da proposta de regulamento se mantém.

Em declarações à imprensa antes do Conselho em Bruxelas, Duarte Cordeiro indicou que "Portugal sinalizou que através do porto de Sines podemos aumentar a solidariedade com outros países europeus e colocar o gás onde é necessário".

"A segunda questão que colocámos como muitíssimo importante é que nós não podemos, para procurar resolver uma crise de gás, criar uma crise no sistema elétrico", sublinhou o ministro do Ambiente, lembrando que Portugal tem tido nos últimos meses uma redução significativa da produção hidroelétrica, o que tornou o gás essencial para garantir a segurança do sistema elétrico.

Espanha vai votar favoravelmente

A ministra da Transição Ecológica de Espanha, Teresa Ribera, foi mais categórica na entrada para o Conselho de Energia em Bruxelas e afirmou, segundo o "El País", que Madrid votará favoravelmente a proposta mais recente da Comissão.

"Estamos obrigados a dizer que sim", declarou Teresa Ribera, que na semana passada, logo após ser divulgada a proposta inicial de Bruxelas para um corte de 15% no consumo de gás, indicou que Espanha não aprovaria e declarou que o país nem foi consultado sobre isso.

Agora Teresa Ribera admite que Espanha dará "luz verde" a um regulamento reformulado que "não satisfaz a todos", mas é satisfatório para o governo espanhol. "É a primeira vez que damos um passo destes", comentou a governante.

Notícia atualizada às 9h01 com declarações da ministra espanhola da Transição Ecológica.