Economia

Fusion Fuel já soma 36 projetos de hidrogénio verde em carteira, dos quais 16 para desenvolver em Portugal

3 março 2022 12:16

D.R.

Cotada no Nasdaq, a Fusion Fuel está a construir uma fábrica em Benavente e tem 16 projetos de produção de hidrogénio verde para desenvolver em Portugal, com uma capacidade de eletrólise de 566 megawatts

3 março 2022 12:16

A Fusion Fuel, empresa portuguesa que desenvolve projetos de hidrogénio verde a partir de energia solar, soma atualmente uma carteira de projetos com uma capacidade total de eletrólise de 2.403 megawatts (MW), ou 2,4 gigawatts (GW), para desenvolver entre 2022 e 2026 em Portugal, Espanha, Marrocos e Austrália. Globalmente são 36 projetos.

A informação foi avançada pela empresa esta quinta-feira, na sua apresentação de resultados trimestrais. No documento, a Fusion Fuel indica que os projetos que tem para Portugal envolvem uma capacidade de eletrólise de 566 MW. Trata-se de 16 projetos, dos quais 6 já em fase de licenciamento. No total deverão ocupar 1.105 hectares e utilizar mais de 24 mil unidades de produção fabricadas pela Fusion Fuel, do modelo “Hevo Solar” (que junta tecnologia fotovoltaica de concentração a pequenos eletrolisadores para produzir hidrogénio verde).

Em Portugal a Fusion Fuel está a construir uma fábrica em Benavente, que deve ficar operacional em meados deste ano e que deve alcançar a velocidade-cruzeiro em 2025, com uma capacidade de produção de eletrolisadores Hevo Solar de 500 MW por ano.

Alguns dos projetos de produção de hidrogénio verde da Fusion Fuel em Portugal passam por Évora, com a instalação de 55 unidades Hevo Solar (15 deles já instalados, a aguardar licença de exploração), que permitirão produzir anualmente 60 toneladas de hidrogénio verde.

Já em Sines a Fusion Fuel tem um outro projeto que envolverá 178 unidades Hevo Solar, com 3,5 MW de capacidade de eletrólise, para produzir 418 toneladas por ano de hidrogénio verde. Neste caso o investimento é de 8 milhões de euros, tendo já assegurado 4,3 milhões de financiamento do programa POSEUR.

Ainda em Sines, a Fusion Fuel irá equipar uma unidade de hidrogénio verde da empresa Keme Energy, num investimento de 2,5 milhões de euros, com capacidade de eletrólise de 1,2 MW e produção anual de hidrogénio verde de 77 toneladas por ano.

Em Espanha a carteira de projetos da Fusion Fuel envolve uma capacidade de eletrólise de 1.218 MW, distribuídos por 17 projetos, dos quais dois em licenciamento. Irão ocupar 1.378 hectares e requerer mais de 50 mil unidades Hevo Solar.

A empresa tem ainda dois projetos em Marrocos (um já em licenciamento) com 606 MW de eletrólise, com 650 hectares de terrenos reservados, segundo a Fusion Fuel. E a sua carteira inclui ainda um pequeno projeto em licenciamento na Austrália, de 0,3 MW, que envolve apenas 15 unidades Hevo Solar.

Resultados mais marcados pela flutuação das ações do que pelo negócio

As contas da Fusion Fuel (que foi fundada em Portugal, mas tem a sua holding na Irlanda e é cotada na plataforma norte-americana Nasdaq) refletem para já um maior impacto da flutuação das ações da empresa em bolsa do que do negócio propriamente dito, que está ainda numa fase de arranque, essencialmente a gerar custos.

Esta quinta-feira a Fusion Fuel reportou um resultado operacional de 11,11 milhões de euros no quarto trimestre, depois de um resultado operacional negativo em 6,97 milhões no terceiro trimestre.

Esta melhoria do resultado está influenciada por efeitos contabilísticos associados ao potencial pagamento em ações a ex-acionistas da empresa, que se mantêm na estrutura mas como trabalhadores. Numa base puramente operacional os custos da empresa aumentaram, de 1,96 milhões de euros no terceiro trimestre para 3,65 milhões de euros no quarto trimestre.

O impacto de produtos derivados associados às ações da própria empresa também acabou por impulsionar o resultado antes de impostos da Fusion Fuel, que no quarto trimestre ascendeu a 24,06 milhões de euros, face a 1,06 milhões no terceiro trimestre.