Economia

Presidente do BCP foi à PJ mostrar disponibilidade para colaborar na investigação a Berardo

29 junho 2021 17:14

Miguel Maya, CEO do Millennium BCP

josé fernandes

BCP é um dos bancos a quem José Berardo não devolveu empréstimos concedidos há mais de 10 anos

29 junho 2021 17:14

O presidente executivo do BCP, Miguel Maya, foi pessoalmente à Polícia Judiciária (PJ) para mostrar a sua disponibilidade para colaborar com a investigação que está a ser feita à relação bancária entre José Berardo e a Caixa Geral de Depósitos. O BCP é um dos três bancos que não foi reembolsado pelos empréstimos concedidos ao empresário.

Miguel Maya esteve esta terça-feira, 29 de junho, no edifício da PJ, em Lisboa, onde Joe Berardo já se encontra. Ali se deslocou para mostrar essa disponibilidade de colaboração para com as autoridades judiciárias, como noticiou a SIC Notícias.

O líder do BCP não fez comentários aos jornalistas, nem a assessoria de imprensa do banco quis acrescentar informações ao Expresso.

O BCP não é protagonista na investigação - e sim o banco público -, mas é uma peça importante. Foi para comprar ações do banco privado, e entrar na guerra de poder de 2007, que José Berardo se endividou perante os maiores bancos do sistema, aos quais não devolveu o dinheiro pedido.

“Este grupo económico causou um prejuízo de quase mil milhões de euros à CGD, ao NB e ao BCP, tendo sido identificados atos passíveis de responsabilidade criminal e de dissipação de património”, é o que indica o comunicado da PJ.

No caso da CGD, a PJ fala em 439 milhões de euros, um valor acima dos referentes ao BCP (acima dos 300 milhões) e do Novo Banco (superior a 200 milhões).

A investigação, iniciada em 2016, investiga prática de "crimes de administração danosa, burla qualificada, fraude fiscal qualificada, branqueamento e, eventualmente, crimes cometidos no exercício de funções públicas". Foram realizadas mais de 50 diligências de busca, sendo que José Berardo e o seu advogado, André Luiz Gomes, foram alvos de mandados de detenção. Deverão ser ouvidos pelo juiz de instrução Carlos Alexandre esta quarta-feira.

Miguel Maya é presidente do BCP, banco de que Berardo foi acionista e André Luiz Gomes administrador entre 2012 e 2018.