Economia

Reestruturação da TAP vai implicar cortes e encolhimento da companhia

10 junho 2020 11:36

Se não tiver condições para pagar o empréstimo em seis meses, Bruxelas diz que a TAP vai ter de se reestruturar e o mais provável é que seja esse o caminho a seguir. Reestruturar implica cortes de custos: redução do número de trabalhadores, desativação de rotas não rentáveis e/ou redução do número de aviões.

10 junho 2020 11:36

A nota da Comissão Europeia libertada hoje é clara, a TAP terá de apresentar um plano de reestruturação em seis meses, uma vez que não é elegível para "receber apoio ao abrigo do Quadro temporário da Comissão relativo aos auxílios estatais, destinado a apoiar empresas que de outro modo seriam viáveis". Nos últimos dois anos, a a transportadora deu prejuízos superiores a 100 milhões de euros.

"Os auxílios de emergência podem ser concedidos por um período máximo de seis meses para dar a uma empresa tempo para encontrar soluções numa situação de emergência. Em especial, as autoridades portuguesas comprometeram-se a que a TAP reembolsará o empréstimo ou apresentará um plano de reestruturação no prazo de seis meses, a fim de assegurar a viabilidade futura da empresa", lê-se na nota de imprensa enviada hoje às redação pela Direção Geral da Concorrência Europeia (DGComp).

Tipicamente nestas reestruturações está implicito um corte de custos e um encolhimento da empresa. E é isso que irá ser preparado pela TAP nos próximos seis meses. O corte de custo passará necessariamente pela redução do número de trabalhadores, desativação de rotas não rentáveis e redução do número de aviões. A TAP tem 105 aviões e cerca de 10 mil trabalhadores. A companhia está atualmente e negociar o leasing de aviões.

A gestão da TAP que, tal como o Expresso noticiou, tinha desenhado um plano de resgate que previa uma injeção de capital de 1,2 mil milhões, mas tinha afastado um cenário de reestruturação, o que na realidade seria pouco provável que Bruxelas aceitasse.

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, dará hoje às 16:00 uma conferência de imprensa onde falará da luz verde da Comissão ao plano de resgate da TAP. A companhia fará em breve um comunicado ao mercado.

Ficou inscrito no Orçamento de Estado suplementar um empréstimo a conceder à TAP no montante de 946 milhões de euros.