Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Berg. Sonae suspende coleção e alemães premeiam a empresa

Há mais 20 inovações made in Portugal distinguidas na maior feira de artigos de desporto do mundo

Supensa, mas premiada. A Berg pode resumir assim a sua situação atual depois de ver a Sonae suspender a produção da sua coleção outono/inverno, no Natal, e a feira alemã Ispo premiar, agora, umas sapatilhas e um casaco da marca.

Em comum, as botas Jardo e o casaco Gerês têm a marca Berg e a preocupação da sustentabilidade, conquistando dois dos prémios principais da Ispo Munique, a maior feira de artigos de desporto do mundo, a decorrer em Munique, com 2.800 expositores de 100 países, 40 dos quais de Portugal, e mais de 80 mil visitantes.

As botas, com o mesmo nome de um rio que nasce no Marão e desagua no Douro, foram desenvolvidas em parceria com a JAM, são 100% biodegradáveis, para desaparecerem na natureza em seis meses, e conquistaram o prémio produto do ano no segmento Urban da Ispo Munique. Já o casaco, vencedor de um Gold Award, é feito em material 100% reciclado a partir de desperdício.

Em edições anteriores do certame, a marca de roupa e equipamentos de desporto e vida ao ar livre da Sonae Sports & Fashion já tinha conquistado outros prémios Ispo, designadamente com uma garrafa biodegradável e umas sapatilhas de Burel também com o selo dos materiais naturais e recicláveis. No entanto, a Sonae decidiu suspender a produção da coleção outono/inverno 2019 da Berg no final do ano passado, “num contexto de realinhamento estratégico das marcas”.

A decisão, que estará ligada à fusão entre a SportZone e a JD Sports, deixou o futuro da Berg em suspenso, com todos os cenários em aberto, da venda ao encerramento.

Num total de 500 amostras candidatas, o juri da Ispo distinguiu mais 20 inovações de cinco empresas têxteis portuguesas nas diferentes categorias: A. Sampaio & Filhos, Tintex, LMA, Gulbena e NGS Malhas.