Coronavírus

Covid-19. Porto cria projeto piloto de vacinação em drive thru. Queimódromo terá capacidade até 2000 inoculações por dia

10 fevereiro 2021 14:34

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

fernando veludo

'Consórcio' constituído pela Câmara do Porto, hospitais de São João e Santo António e a Unilabs Portugal anunciou operação de vacinação em larga escala, quando forem disponibilizadas as doses para as 2ª e 3ª fases do plano nacional. Em Gaia, arranca a fase de reforço da vacina nos lares de idosos

10 fevereiro 2021 14:34

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Rui Moreira e os administradores dos dois maiores centros hospitalares da cidade apresentaram, esta quarta-feira, o primeiro centro de vacinação covid em modelo Drive-Thru, no Queimódromo do Porto.

A Câmara Municipal do Porto irá assegurar a gestão das pessoas que serão vacinadas, operacionalizando a sua mobilização. O presidente da Câmara do Porto pretende com este teste piloto preparar a cidade para um processo “seguro e robusto de vacinação, em larga escala, assim que houver vacinas para as 2ª e 3ª fases do processo de vacinação”. Previa-se que o primeiro teste piloto de vacinação em Drive-Thru em Portugal incluísse a vacinação de cerca de 3000 agentes da PSP, mas a operação foi cancelada esta terça feira por decisão superior comunicada à Camara do Porto pela Comandante Distrital desta força policial.

O Centro Hospitalar Universitário São João (CHUSJ) e o Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUP) vão assegurar consultoria e apoio na formação dos profissionais desta operação de vacinação, garantindo que a mesma decorre dentro “das melhores práticas clínicas, em linha com a experiência adquirida durante a primeira fase de vacinação com os seus profissionais de saúde”, referem em comunicado conjunto os quatro promotores do plano.

À Unilabs Portugal caberá assegurar a logística e organização de fluxo das pessoas a vacinar e dos técnicos de vacinação no Queimódromo, aproveitando a experiência do rastreio neste tipo de centros, agora aplicados ao processo de vacinação. Para o efeito, a Unilabs vai disponibilizar 12 linhas de vacinação, estimando que possam ser administradas no local até 2000 doses por dia.

O Queimódromo do Porto, instalado no Parque da Cidade, foi o espaço escolhido pela autarquia, a Unilabs e a ARS Norte para a instalação do primeiro centro de testagem em drive-thru do país, inaugurado no início da primeira vaga pandémica, em março de 2020, “projeto piloto que acabou por se tornar um modelo standard de rastreio no país”.

Para Rui Moreira, “esta ação, além de possibilitar uma vacinação em escala e num espaço de tempo muito reduzido, servirá de piloto para um planeamento atempado, que será essencial para que o processo de vacinação seja rápido, cómodo e eficaz".

De acordo com o autarca, a vacinação neste figurino permitirá descongestionar ainda os centros de saúde, mais libertos para "apoiar os portugueses numa fase em que as doenças não-covid não podem ficar para trás”.

Luís Menezes, CEO da Unilabs, salienta que o laboratório tem estado desde a primeira hora "toda a disponibilidade para ajudar no combate à pandemia, seja através da capacidade laboratorial e de diagnóstico, seja através da instalação de infraestruturas técnicas e humanas que estejam mais próximas dos cidadãos".

O administrador da Unilabs refere ser "uma obrigação colocar o know-how adquirido até aqui" nos desafios que agora se apresentam na campanha de vacinação, esperando que o projeto piloto possa fazer a diferença, ao permitir vacinar mais pessoas, em toda a segurança, retirando pressão dos restantes serviços de saúde .

Lares de Gaia recebem segunda dose da vacina

A administração da segunda dose da vacina contra a covid-19 vai arrancar na tarde desta quarta-feira, tendo por alvo os utentes e profissionais das residências seniores, operação que irá decorrer até 15 de fevereiro.

A Câmara de Gaia, através dos Bombeiros Sapadores e Voluntários e da Polícia Municipal, delineou uma estratégia de cooperação com os dois agrupamentos de centros de saúde (ACES), acompanhando, uma vez mais, no terreno todo o processo.

No caso do ACES Gaia, a campanha inclui um total de 24 lares, situados na sua área de abrangência. A vacinação irá também iniciar-se nos lares abrangidos pelo ACES Gaia/Espinho. Segundo a autarquia, ficam de fora nesta fase todos os lares com surtos ativos, sendo que a administração da vacina nestes locais será retomada logo que a situação estiver normalizada.

No distrito do Porto, a segunda fase de vacinação arrancou na última sexta-feira, etapa destinada a pessoas com mais de 80 anos ou com mais de 50 anos com doenças crónicas.