Boa Cama Boa Mesa

Zé Manel dos Ossos: a “faculdade secreta” da cidade de Coimbra

17 janeiro 2023 11:55

Não é uma praxe, antes um batismo para quem estuda em Coimbra. "Sala de estudo” gastronómico, esta universidade alternativa é uma das últimas verdadeiras tascas da cidade e não há dia em que a casa não encha. Bem-vindo ao Zé Manel dos Ossos

17 janeiro 2023 11:55

Ao chegar perto do Beco do Forno, uma estreita ruela sem saída, em Coimbra, consegue sentir o ambiente de algumas das descrições relatadas nas obras de ficção de Harry Potter. A rua, escura, esconde uma pequena tasca, com apenas duas dezenas de lugares, quase sem letreiro à porta e de iluminação ténue. A decoração desconcerta com recados, pensamentos e dedicatórias dos clientes, feitos em bocados de toalhas de papel, penduradas pelos próprios, dando ao espaço um aspeto misto de caverna com clube secreto.

O balcão, corrido, é a zona de chegada das especialidades da casa, que aterram diretamente nas mesas, cada uma com quatro bancos em madeira e poucas comodidades. No entanto, no Zé Manel dos Ossos, não é conforto, nem serviço exemplar que os clientes procuram. Vai-se pela comida, feita com apuro e por mão treinadas, e, sendo os ossos do espinhaço a atração principal, existem outras opções de comida regional para agradar aos menos dados a esta especialidade.

Zé Manel dos Ossos

Zé Manel dos Ossos

A história deste restaurante começa em 1959, quando José Manuel Ribeiro Franco se estabelece em nome próprio, depois de uma década por outras tabernas da cidade. O espaço começou por ser de vinhos e de pasto. Até ao dia, em que para acompanhar o vinho servido em jarros, decide começar a cozinhar uns ossos do espinhaço do porco, ligeiramente apimentados, que se tornaram de imediato um sucesso.

O fundador, falecido em 2018, deixou todo o saber aos empregados e hoje é Mário Simões quem gere o restaurante, com o cuidado de manter tudo igual à herança recebida. Os “Ossos” (€7,60) são o prato mais pedido, mas há uma igualmente famosa “Feijoada de javali” (€9,70), “Arroz de feijão malandro com costeletinhas de porco” (€9,70), “Polvo na brasa com molho especial” (€11,50) e “Lombo de javali assado no forno” (€9,70).

Zé Manel dos Ossos

Zé Manel dos Ossos

Na ementa do Zé Manel dos Ossos conte ainda com “Bacalhau assado na brasa com batata cozida” (€19,50), “Costela de porco com molho segredo” (€11,50), e até robalo e dourada na brasa. O jarro de vinho tinto do lavrador (€5,50) e o vinho branco especial (€6,50) são as opções para acompanhar a comida que chega à mesa.

O recato de Mário Simões impede-o de dizer que figuras públicas por ali passaram, mas lá se descai que João Cravinho, na altura ministro da Defesa, até as travessas levantou da mesa para garantir o lugar. Médicos, advogados e gente ilustre das letras, da política e das artes reforçam o conhecimento nesta “sala de estudo” gastronómico, dizendo-se, por graça, que qualquer curso tirado em Coimbra, só fica completo depois de uma passagem por esta “faculdade secreta”.

Jorge, Mário Simões e Luís

Jorge, Mário Simões e Luís

O restaurante Zé Manel dos Ossos (Beco do Forno, 12, Coimbra. Tel. 239823790) está aberto de segunda-feira a sábado, ao almoço, das 12h30 às 15h00, e ao jantar, das 19h30 às 22h00. E não se preocupe se não souber ao certo onde fica esta casa… basta seguir a fila que parece não terminar, a esperar um lugar à mesa, uma vez que o restaurante não aceita marcações.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!