Boa Cama Boa Mesa

Está a chegar a Rede das Aldeias Vinhateiras de Portugal

29 novembro 2022 12:34

A Rede das Aldeias Vinhateiras de Portugal, um projeto que visa valorizar o mundo rural e impulsionar o turismo, conta já com cerca de 200 freguesias e vai ser constituída oficialmente na quinta-feira, em Santarém.

29 novembro 2022 12:34

É uma rede nacional de aldeias e freguesias em territórios com tradição vitivinícola, olivícola e corticeira, pretende contribuir para a valorização do património, fomentar o desenvolvimento sustentável e impulsionar o turismo de forma integrada em todo o território nacional, anunciou José Arruda, secretário-geral da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV). Conta, diz o dirigente, com um número bastante elevado de municípios, 122 municípios no total.

A ideia surgiu há alguns anos, inspirada na experiência da rede de aldeias vinhateiras do Douro, que teve início em 2010. “São seis aldeias e nós, a partir dessa experiência, achámos que era interessante haver a nível nacional um projeto que pudéssemos levar a todo país, porque nos apercebemos de que existem nas nossas freguesias, nas nossas aldeias, muitas iniciativas ligadas às áreas do vinho”, conta. José Arruda espera ainda que esta rede "venha dar a conhecer o que existe nas aldeias, quer em termos de produção, de produtores de vinho ou de azeite, na restauração, no turismo rural, nos museus, nos queijos ou nas padarias".

Rede das Aldeias Vinhateiras de Portugal

Rede das Aldeias Vinhateiras de Portugal

O projeto vai ficar integrado numa secção dentro da própria AMPV, à semelhança de outras secções, como a dos museus do vinho. Segundo José Arruda, a rede está ainda no primeiro patamar e em 2023 será então o arranque efetivo com uma série de ações a divulgar. "Agora fazemos o levantamento dos que querem participar no projeto. Temos cerca de 200 freguesias de todo o país. Temos freguesias muito rurais e outras mais urbanas, como, por exemplo, Bucelas, em Loures, ligada à área do vinho, e também Carcavelos, em Cascais, com o vinho de Carcavelos. Há vários tipos de ofertas que serão complementares", destacou.

O secretário-geral da AMVP disse também que com esta rede se pretende criar um projeto nacional integrado e estruturado que possa "sustentar a elaboração de candidaturas para captação de financiamento para requalificar e dinamizar as aldeias". "Trabalhamos no sentido de podermos ter candidaturas de âmbito regional. A tipologia da nossa rede será começando das freguesias, indo aos municípios e depois às 14 regiões vitivinícolas do país. Vamos procurar, em termos regionais, fazer candidaturas para a reabilitação das próprias aldeias e para a promoção de eventos", realçou. Em paralelo, estão também a ser preparados alguns projetos ligados à gastronomia tradicional.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!