Boa Cama Boa Mesa

Arte e vinho: a harmonização perfeita em enoturismo premiado no Minho

17 maio 2022 10:04

Entre vinhas a perder de vista, floresta e a companhia do rio Cávado, no Solar das Bouças, datado do século XVIII, pode fazer provas dos vinhos da casa, piqueniques, pernoitar e apreciar arte contemporânea. O espaço foi premiado como o melhor enoturismo da região dos Vinhos Verdes

17 maio 2022 10:04

Onde outrora cresciam milho, hortas, pomares e pinhal estendem-se hoje 34 hectares dominados pelas vinhas que dão origem a várias referências de vinho verde, abraçadas pelo cenário verdejante da região e brindadas pelas margens do rio Cávado. Sobranceiro, o imponente edifício que remonta ao século XVIII guarda memórias dos diferentes tempos do Solar das Bouças - Art & Wine, no concelho minhoto de Amares, que hoje alberga cinco quartos. Outras duas casas, uma com três quartos, outra com quatro, alojam quem procura relaxar neste ambiente bucólico, provar os vinhos e sentir os aromas do campo. Mas também há arte contemporânea para apreciar. Uma galeria, bem recheada de pintores nacionais, alberga obras de João Cutileiro, Júlio Resende, Artur Bual e Mário Rocha, entre outros.

Solar das Bouças - Art & Wine

Solar das Bouças - Art & Wine

dr

Numa visita mais curta, pode agendar uma prova de quatro vinhos da casa, acompanhados de uma tábua de queijo e complementada com uma visita à galeria de arte. Outra possibilidade é caminhar pelos vários trilhos assinalados da propriedade, marcar um piquenique ou mesmo um brunch à sombra das árvores, atividades que se afiguram também bons complementos para quem fica a dormir no Solar das Bouças.

Solar das Bouças

Solar das Bouças

Uma casa com história
Eleito o Melhor Enoturismo da Região dos Vinhos Verdes, prémio atribuído pela primeira vez na cerimónia Os Melhores Verdes, que este ano decorreu em Viana do Castelo, o Solar das Bouças - Art & Wine é, à semelhança de diversas quintas produtoras da região, uma casa com história secular, cujos vários capítulos contam também a evolução da região e dos vinhos. Quando o atual proprietário, António Ressurreição à frente de uma sociedade de investimentos, assumiu a propriedade desta quinta secular, a sua história já era dona de diferentes capítulos. As primeiras referências à propriedade, localizada em Amares, datam do século XVII, quando era propriedade da família Pinheiro de Almeida.

O tempo passou, a quinta perdeu força e brio até que, há cerca de 50 anos, Albano Castro Sousa adquiriu a propriedade praticamente em ruínas para a transformar numa das mais respeitadas casas produtoras de vinho verde. Foi um dos primeiros a apostar nas potencialidades dos vinhos de quinta criando os vinhos com a marca Solar das Bouças. A quinta passou, mais tarde, para as mãos da Quinta do Noval e, depois, foi Fernando Van Zeller, um dos membros da família proprietária, que assumiu a gestão, recuperando tanto o solar como as casas da propriedade, e, no campo, plantando novas vinhas e diferentes castas.

Solar das Bouças

Solar das Bouças

Os atuais proprietários, que adquiriram o Solar das Bouças numa “compra de paixão”, abriram-na ao mundo através do enoturismo e acrescentando a vertente "art & wine", através da galeria de arte contemporânea.

Pode visitar o Solar das Bouças (Rua do Crasto 1415, Prozelo, Amares. Tel. 253909010), provar quatro vinhos da casa senhorial, acompanhados de uma tábua de queijos e visitar a galeria de arte (€15) ou pernoitar num dos cinco quartos da casa principal (desde €130). Outras duas casas, alugadas na totalidade, dispõem de três (€250) ou quatro quartos (€350).

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!