Teste online vai avaliar risco de dependência da Internet nos jovens
SAIBA MAIS
SOCIEDADE
Um teste online vai avaliar a partir desta quarta (17) o risco de dependência da Internet entre os jovens, numa iniciativa concebida pelo projeto Geração Cordão e pelo Ispa- Instituto Universitário.
Na data em que se assinala o Dia Mundial da Internet, este teste vai procurar fazer uma análise dos hábitos de consumo das tecnologias e da Internet entre os utilizadores mais jovens e, segundo a coordenadora do projeto Geração Cordão e investigadora do Ispa, Ivone Patrão, tem em conta a perceção do comportamento online, independentemente de ser preenchido pelo jovem, pelos pais ou por um professor.
"O teste é uma ferramenta útil para famílias e professores aferirem o risco de dependência dos jovens, mas é importante, sobretudo, para que, em caso de intervenção de um psicólogo, já tenhamos uma avaliação inicial do risco de dependência online, para de seguida avaliar e intervir de forma mais profunda e direcionada, caso a caso", refere Ivone Patrão.
De acordo com o comunicado, o teste vai estar disponível no site do projeto Geração Cordão (www.geracaocordao.com) e visa contribuir para uma melhor gestão dos riscos para a saúde de uma excessiva dependência da Internet entre os jovens.
Segundo estudos recentes, a utilização excessiva da Internet está associada a mudanças de humor e a impacto negativo nas interações familiares e sociais, bem como repercussões ao nível da alimentação, do sono e da qualidade do desempenho escolar.
Através de um estudo realizado em fevereiro pelo projeto Geração Cordão, em parceria com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, Ivone Patrão traçou um perfil do utilizador com maior dependência online: utilizador com idade entre os 16 e os 21 anos, do sexo masculino, com frequência do secundário, entrada no mundo 'online' aos oito anos, que não pratica exercício físico, tem um rendimento escolar mais baixo, não namora, está mais de seis horas diárias na internet, envia e recebe dados íntimos (sexting), joga online e é vítima ou agressor (cyberbullying).
LEIA MAIS ARTIGOS
TEXTO: LUSA
WEBSTORY: EMÍLIA CARDOSO
EDITADO POR PEDRO MIGUEL COELHO
FOTOGRAFIA: GETTY IMAGES
<!— netScope v4 – Begin of gPrism tag for AMPs -->